VIP 10: músicas novas com gente de toda parte

Artistas incluídos na lista são de França, Portugal, Senegal, Índia, Austrália, Estados Unidos e Brasil. Tem desde pop até samba

Dez músicas novas na VIP 10, a playlist da redação no Spotify — na qual pode aparecer de tudo, de lançamentos recentes a seleções temáticas.

As dez faixas são de artistas de várias partes do planeta. Brisa Roché (e não Roche, como está escrito no Spotify) é uma cantora alternativa de pop-rock nascida na Califórnia, mas que montou sua carreira na França — no ano passado, ela retornou ao país natal.

O grupo Slow Joe & The Ginger Accident também foi morar na França, embora sua origem seja em Goa, na Índia.

Já François & The Atlas Mountain é uma banda com músicos franceses que moram na Inglaterra.

A “Conexão França” também traz o guitarrista australiano Mick Harvey (que trabalhou bastante com Nick Cave). Ele acaba de lançar o quarto álbum de versões em inglês para canções de Serge Gainsbourg (1928-1991), mito do pop francês. Essa quadrilogia foi iniciada em 1995.

Apesar da música com um ritmo bem caribenho, o Dead Combo é uma dupla de Portugal. Já a Orchestra Baobab vem de Dacar, Senegal.

Entre os americanos da playlist, há a parceria dos grupos OrgoneIkebe Shakedown com uma faixa funk-soul. E o versátil cantor José James, capaz de ir do jazz ao pop mais moderno.

O Brasil tem o rapper Criolo em ritmo de samba, num novo álbum com vários artistas interpretando composições de Gonzaguinha (1945-1991). E a participação da cantora Céu no novo álbum de Marcelo Yuka (ex-O Rappa).

Estas dez faixas deverão sair da VIP 10 na semana que vem, substituídas por outras dez. E serão transferidas para a playlist VIP 2017.