Del Piero fala sobre futebol moderno, marketing e estilo

O campeão do mundo falou sobre o Brasil na Copa e elegeu o melhor batedor de falta da atualidade

Com um terno italiano azul marinho feito sob medida, Alessandro Del Piero entra num bar no bairro Itaim Bibi, em São Paulo, onde tem uma entrevista marcada com a VIP. Campeão do mundo pela Itália em 2006, o cara sabe o que é ser idolatrado – pelos torcedores da Juventus, por todos seus conterrâneos e, na verdade, por qualquer fã de futebol ao redor do globo. Ainda assim, aceita bater um papo honesto e descontraído com quem estiver por perto.

Aposentado desde o fim de 2014, o craque fala sobre as suas impressões do mundo da bola – que anda bem diferente do que era nos seus tempos áureos de Juventus e Azzurra. E, claro, num papo de bar com a presença da VIP, não poderia faltar moda, estilo e prazer.

VIP: Nos últimos anos, Messi e Cristiano Ronaldo dominam o prêmio de Bola de Ouro da FIFA. Você acredita que eles conseguirão segurar o monopólio nas próximas edições ou jovens como Neymar e Pogba podem surpreender em um futuro próximo?

Del Piero: Eu realmente espero que jovens talentos como eles possam trazer mais competição à premiação. Mas os dois ainda são os melhores do mundo e devem disputar novamente a Bola de Ouro neste ano. Agora, campeonatos como a Eurocopa (este ano) e a Copa do Mundo (em 2018) dão a chance de acontecer algo novo, surpreendente. Vamos esperar para ver.

Você aposentado do futebol, Totti prestes a pendurar as chuteiras e Buffon provavelmente em seus últimos anos de Juventus. Haverá uma nova geração de jogadores que dedicam sua carreira a apenas um clube?

Eu espero muito que possa haver outros jogadores como nós, mas não tenho tanta certeza.  O problema não é só o dinheiro, o futebol mudou como um todo…  Ainda assim, acho que deve haver garotos por aí que sonham em dedicar a vida a um só time, como eu, Totti, Gerrard e Giggs fizemos. Daí que nascem as grandes histórias.

No momento, o Brasil está fora da zona de classificação para a Copa do Mundo. Existe Copa sem a Seleção Brasileira?

Não. Não existe. O Brasil precisa estar na Copa do Mundo.

Na sua geração era pra lá de comum ver especialistas em cobranças de falta, você incluso. Hoje, temos um grande batedor de falta? 

Neste momento, o Messi está cada vez melhor neste quesito. Ele tem marcado gols de falta e é o primeiro nome que me vem à cabeça.

Em relação a cobradores brasileiros: em um passado recente, tínhamos nomes como Rogério Ceni, Juninho Pernambucano e Ronaldinho Gaúcho. Perdemos este talento nacional?

Vocês podem esperar um pouco. Tiveram talentos incríveis e era até demais, os outros países ficavam com inveja (risos). Em breve irá aparecer mais um batedor de falta como os de antigamente no Brasil.

Jogadores italianos costumam ter um estilo simples e clássico fora dos gramados. O que você pensa quando ver os jogadores de hoje em dia com cortes de cabelo ousados, chuteiras coloridas e roupas chamativas?

Nós italianos, jogadores de futebol ou não, nascemos em um país com a melhor alta costura do mundo e nos preocupamos com isto. Temos gênios trabalhando no campo da moda. Agora, sobre os cortes de cabelo e as chuteiras, é apenas marketing. Mas é importante que a nova geração tenha uma personalidade própria e mostre isto pelo seu estilo.

O que vem à cabeça quando falamos de prazer e bem-estar?

O prazer vem quando seguimos a nossa paixão. Provavelmente esta é a coisa mais importante para se viver bem.

 (/)