Depois de 10 anos, não somos mais campeões do UFC. Mas isso pode mudar de novo (e ainda hoje)

Desde outubro de 2006, quando Anderson Silva nocauteou Rich Franklin e ganhou o cinturão dos pesos-médios do UFC, o Brasil nunca tinha ficado sem um título mundial do maior evento do planeta. Isso acabou ontem, quando Rafael dos Anjos sofreu um nocaute técnico, ainda em pé, para Eddie Alvarez, e perdeu o único cinturão (dos […]

Desde outubro de 2006, quando Anderson Silva nocauteou Rich Franklin e ganhou o cinturão dos pesos-médios do UFC, o Brasil nunca tinha ficado sem um título mundial do maior evento do planeta. Isso acabou ontem, quando Rafael dos Anjos sofreu um nocaute técnico, ainda em pé, para Eddie Alvarez, e perdeu o único cinturão (dos leves) que ainda estava nas mãos de um brasileiro. Hoje à noite o jogo pode mudar de novo: Claudinha Gadelha, da Nova União, mesma equipe de José Aldo, enfrenta a campeã dos pesos-palhas feminino, Joanna Jedrzejczyk, no TUF Finale 23, em Las Vegas.

Las Vegas é, como de costume, o cenário para a supersemana de luta do UFC. Além do evento de ontem, em que o cinturão dos leves mudou de mão, e da final do TUF de hoje, amanhã acontece na cidade o UFC 200 — que deu o que falar nos últimos dias. Para começar, Jon Jones, que voltou depois de um longo tempo afastado por causa de problemas com a Justiça americana, faria a luta principal contra Daniel Cormier, atual campeão dos meio-pesados. Acontece que Jones foi pego no teste de doping e o anúncio de que ele seria suspenso saiu ontem. O UFC começou a correr para achar um substituto — e eis que Anderson Silva topou o desafio de encarar o duríssimo Cormier em uma categoria acima da sua (a dois dias da luta).

O evento, no entanto, tem uma nova luta principal: e ela pode, se Claudinha Gadelha não vencer Joanna, voltar a dar um título ao Brasil. O combate entre a campeã dos galos Miesha Tate e a brasileira Amanda Nunes (na foto acima) foi promovido a main event. Ainda no mesmo card, José Aldo pode rever o cinturão, embora interino, dos penas: para isso, deve passar por Frankie Edgar.

Enfim, podemos no domingo termos conquistado novamente um, dois ou três cinturões. Mas, mesmo se isso acontecer, não podemos achar que tudo anda maravilhoso para os brasileiros no maior evento de MMA — ao contrário: é hora de revermos como estamos tratando o esporte por aqui.

Cards completos (por enquanto)

TUF Finale 23
8 de julho, às 20h
Peso-palha: Joanna Jedrzejczyk x Cláudia Gadelha
Peso-meio-pesado: Andrew Sanchez x Khalil Rountree
Peso-palha: Amanda Cooper x. Tatiana Suarez
Peso-leve: Ross Pearson x Will Brooks
Peso-pena: Doo Ho Choi x Thiago Tavares
Peso-leve: Joaquim Netto BJJ x Andrew Holbrook
Peso-pena: Gray Maynard x Fernando Açougueiro
Peso-mosca: Matheus Nicolau x John Moraga
Peso-médio: Anthony Smith x Cezar Mutante
Peso-meio-pesado: Josh Hendricks x Cory Stansbury
Peso-leve: Jake Matthews x Kevin Lee
Peso-meio-médio: Li Jingliang x Anton Zafir

UFC 200
9 de julho, às 20h
CARD PRINCIPAL
Peso-galo: Miesha Tate x Amanda Nunes
Peso-pesado: Brock Lesnar x Mark Hunt
Peso-meio-pesado: Daniel Cormier x Anderson Silva
Peso-pena: José Aldo x Frankie Edgar
Peso-pesado: Cain Velásquez x Travis Browne
CARD PRELIMINAR (a partir das 20h)
Peso-galo: Cat Zingano x Julianna Peña
Peso-meio-médio: Johny Hendricks x Kelvin Gastelum
Peso-galo: TJ Dillashaw x Raphael Assunção
Peso-leve: Sage Northcutt x Enrique Marin
Peso-leve: Diego Sanchez x Joe Lauzon
Peso-médio: Gegard Mousasi x Thiago Marreta
Peso-leve: Jim Miller x Takanori Gomi