TRT, Belfort e Lyoto

A Comissão Atlética de Nevada (NSAC) decidiu ontem que baniria a polêmica terapia de reposição de testosterona, ou TRT, das lutas sob sua chancela. O UFC aplaudiu e, em comunicado oficial, o presidente Dana White afirmou: “Acreditamos que nossos atletas devem competir de acordo com suas habilidades naturais e de maneira justa”. Dana disse ainda: […]

A Comissão Atlética de Nevada (NSAC) decidiu ontem que baniria a polêmica terapia de reposição de testosterona, ou TRT, das lutas sob sua chancela. O UFC aplaudiu e, em comunicado oficial, o presidente Dana White afirmou: “Acreditamos que nossos atletas devem competir de acordo com suas habilidades naturais e de maneira justa”. Dana disse ainda: “Nós encorajamos todas as comissões atléticas a adotar essa medida”. A CABMM (Comissão Atlética Brasileira de MMA) declarou, hoje, que vai seguir a norma de Nevada e proibir atletas que fazem uso da TRT de lutar em eventos do UFC no Brasil.

Antes disso, Vitor Belfort, que usa a terapia, não vai mais lutar pelo cinturão contra Chris Weidman no UFC 173, em 24 de maio, em Vegas. Ele já havia conseguido em ocasiões anteriores as isenções para o uso da terapia. “Sabendo que outras comissões podem vir a tomar a mesma decisão, vou deixar de fazer o TRT”, disse ele. Apesar disso, ele afirmou que pretende continuar a competir sem o uso da terapia.

No começo da tarde, Vitor emitiu um comunicado oficial sobre o ocorrido. Sob o título “Vitor Belfort não desistiu da luta, foi obrigado a desistir”, ele diz o seguinte: “Nunca desisti de lutar no UFC 173 e nunca falei isso. Portanto, toda informação publicada em qualquer veículo de comunicação anunciando isso não é verdadeira. O que anunciei foi que estarei ‘desistindo do TRT’ e não ‘desistindo da luta’ para continuar o meu sonho de lutar. O UFC decidiu colocar outro oponente em meu lugar pelo fato de eu não ter tempo hábil de me adequar as novas regras da NSAC. Segundo o UFC, enfrentarei o vencedor de Weidman vs Lyotto dentro dos novos regulamentos de todas as Comissões Atléticas. Lamento que isso tenha acontecido, e agradeço a força e compreensão de todos os fãs, patrocinadores, UFC e as próprias comissões atléticas”.

Vitor Belfort, que faz TRT, afirma que faz testes a cada 15 dias para verificar seus níveis de testosterona e pediu que Chris Weidman, seu próximo adversário, também se submeta a testes antidoping durante a preparação para a luta

Rapidamente, o UFC anunciou o substituto de Belfort: Lyoto Machida. Ele, que já seria o desafiante natural para o vencedor do duelo Weidman x Belfort, venceu seus dois últimos combates, contra Mark Muñoz e Gegard Mousasi. “Ele conquistou a posição de desafiante ao título de Weidman, que vem de duas vitórias consecutivas sobre o maior lutador de todos os tempos, Anderson Silva”, disse Dana White. “Lyoto Machida não quer nada mais do que vingar as derrotas de seu amigo e parceiro de treino e se tornar o terceiro atleta do UFC a conquistar títulos em duas categorias de peso diferentes.”