Você lutaria com o Anderson Silva?

Este cara já fez isso muitas vezes. Guarde o nome: Erick Silva. Ele é o capixaba que venceu o Jungle Fight, um dos principais eventos de MMA do país, ano passado e estreia no UFC bem em sua edição brasileira, no Rio de Janeiro em 27 de agosto. E que era sparring de Anderson Silva […]

Anderson e Erick no octógono, em foto roubada do Facebook do último. 😛

Este cara já fez isso muitas vezes. Guarde o nome: Erick Silva. Ele é o capixaba que venceu o Jungle Fight, um dos principais eventos de MMA do país, ano passado e estreia no UFC bem em sua edição brasileira, no Rio de Janeiro em 27 de agosto. E que era sparring de Anderson Silva – ou seja, era o sujeito que sobe no octógono para fazer luva (como é chamada a luta-treino) que os atletas fazem quase diariamente.

Erick, que está com 26 anos, começou a treinar jiu-jítsu aos 15. “Não pensava em lutar profissionalmente”, conta. “Comecei a treinar para ter um esporte mesmo.” Quando era faixa roxa, foi lutar em um evento de MMA, sem nunca ter dado um soco na vida. Venceu a luta, mas viu que precisava treinar em pé. Começou a praticar muay thai e boxe. A inspiração de Erick sempre foi Minotauro.

E não é que Minotauro foi parar na vida do capixaba? O agente do lendário lutador viu Erick lutar no Espírito Santo e o levou para um teste na equipe Team Nogueira. Erick causou boa impressão, mas só ia para o Rio de Janeiro treinar com o ídolo antes de suas lutas pelo Jungle Fight. Ano passado, Dana White, o todo-poderoso do UFC, disse a Wallid Ismail, empresário de Erick e organizador do Jungle Fight, que os vencedores do evento brasileiro teriam uma chance no Ultimate. “Eu queria ganhar para ser chamado para estrear no maior evento do mundo”, conta Erick. Dito e feito: ganhou, foi chamado e vai estrear agora na categoria meio médio, contra o americano Mike Swick – a que tem o monstro Georges St-Pierre como detentor do cinturão.

Erick Silva, na foto de seu perfil do Facebook (que eu acredito que tenha sido feita pela ótima revista Tatame)

Erick intensificou o treinamento quando seu nome foi anunciado para o UFC Rio. Mudou-se para a capital fluminense e começou a treinar para valer no Team Nogueira. Lá, virou sparring de Anderson – além de amigo do campeão mundial dos pesos médios. “A gente sempre batia papo depois dos treinos”, diz o lutador, que conta ter aprendido muito treinando com os astros do MMA. “Sou bastante observador e assim como eu tem vários na academia que têm eles como ídolos. Uma coisa muito legal nos doios é que eles são muito centrados no treino. E treinam muito. Tento absorver isso para mim.”

Erick conta que não está ansioso para a estreia. “Eu estou mais preocupado com o treino do dia seguinte, porque eles estão cada dia mais pesados”, diz. “O [Josuel] Distak e o [Rogério] Camões [treinadores da X-Gym, parceira do Team Nogueira] estão pegando muito pesado para eu chegar no dia 27 pronto. Por isso, estou tranquilo em relação à luta. Treino de tudo, e na luta vai ser muita porrada para lá e para cá.” Sobre a luta dos ídolos (Anderson Silva x Yushin Okami e Rodrigo Minotauro x Brandon Schaub), Erick arrisca um palpite: “Sou suspeito em dizer, mas Anderson e Minotauro estão voando. Certeza que trazem a vitória para o Brasil.”