Como usar o terno azul-marinho

A roupa chave é a mesma, mas as ocasiões e as combinações mudam bastante

terno azul

A cor do terno está intrinsicamente ligada ao ambiente em que a peça de roupa vai ser usada e, principalmente, com os outros componentes do vestuário. Um terno azul-marinho poder não ser tão formal quanto o preto, mas carrega também a seriedade necessária para uma reunião de negócios e cerimonias religiosas de casamentos. Sua vantagem é ser mais descontraído sem perder a tom clássico. É o coringa do armário – e, com ele, nunca vai haver erro.

Mais importante do que saber usar o terno azul-marinho é saber com o que combiná-lo. Nos diferentes dias da semana, em situações distintas, o detalhe da camisa por baixo ou a cor da gravata fazem toda a diferença. São diferentes níveis de elegância, mas todos reconhecidos pelos observadores.

Domingo à tarde. Considerando que estamos falando de um lugar muito bem climatizado ou daqueles dias de intenso frio, a melhor pedida é um suéter escuro por baixo do paletó. Isso faz a aparência ficar informal e, ao mesmo tempo, elegante.

Reunião de trabalho na segunda-feira. A elegância, neste caso, está no uso dos punhos franceses e nas listras encorpadas da camisa. Não são características muito comuns, por isso o charme.

Festa durante a semana. O punho continua francês. A mudança fica por conta das listras da camisa, que dessa vez são mais finas. O colarinho deve ser mais alto e grosso e o terno deve ser mais ajustado ao corpo.

Sextas e sábados. Bom mesmo é experimentar um terno mais clássico, com três botões. A inovação vai ficar por conta da calça, que não deve ser da mesma cor. A dica é usar uma calça cáqui, de veludo ou até mesmo um jeans escuro.