Dicas e tendências que você precisa saber para usar Jeans sem erro nesta estação

Batemos um papo com Thiago Leão, coordenador de produto da Levi's Brasil

por Gabriela Comis

A peça mais democrática do seu guarda-roupa é, sem dúvida, seu jeans. Combina com tudo, leva você a todos os lugares e transita numa boa entre diferentes tribos. Tem sido assim há muito tempo. E por falar em tempo, nada mais justo do que saber como essa peça, fundamental na vida de qualquer humano, chegou até aqui.

Passado

O primeiro jeans, o famoso achado de Levi Strauss – fundador da marca que leva seu nome – foi construído a partir do molde da calça de um marinheiro genovês. “Seu tecido era dos mais grosseiros, pois a ideia inicial de Strauss era vender aos garimpeiros de ouro o tecido escuro que havia trazido em sua bagagem”, explica Thiago Leão. O sucesso foi tanto que, em 1856, foi inaugurada a primeira fábrica e Levi Strauss precisou correr atrás de matéria-prima. Até que, em 1860, lembrou-se de um tecido de algodão puro e de altíssima qualidade, que servia para fazer as roupas dos escravos das plantações. O tecido, que era fabricado em Nimes, na França, tornou-se assim o famoso denim. “A sarja de Nimes era exportada em grandes quantidades para as Américas em sua versão tingida de índigo, de modo que Strauss não foi responsável pela escolha da cor”, explica Leão. Nasceu então o famoso 501® ou Five-O-One – o nome faz referência aos números que constavam nos lotes do tecido importado.

Presente

A verdade é que para cada biótipo de homem há um modelo atemporal ideal de calça. Basicamente, o jeans não deve ter apertos e sobras. “Um homem mais baixo pode alongar a silhueta com calças slim ou skinny, pois a proximidade com o corpo cria o efeito de que ele é mais alto. Para o homem alto e/ou magro, peças de caimento reto ou slim. Já quem tem uma barriguinha saliente, ao contrário do que comumente acontece, não deve comprar calças muito largas, pois isso acaba contribuindo para o aumento visual da silhueta. Para ele, peças slim no número correto ajudam a disfarçar o que ele não gosta”, completa o executivo.

VEJA TAMBÉM:

Futuro

Sobre tendências, Leão diz que o caminho ainda segue para os modelos slim e skinny. “Há ainda opções mais próximas ao corpo, como o extreme skinny.” A lavagem está em um denim puro, sem muitas intervenções de lavanderia. No street style, os modelos destroyed e com aplicações prometem marcar presença.