O sapato do verão

Mocassim feito à mão, como manda a tradição

Foi no início da década de 30 que o sapato loafer foi criado. Com o tempo, o design passou por transformações. Em 1936, o americano George Henry Bass criou os weejuns, com uma faixa de couro e losango vazado na parte que cobre o pé.

O calçado ficou popular nos anos 50 e 60, quando garotos começaram a guardar uma moeda de 1 penny (o preço de uma ligação telefônica) entre as tiras de couro. Daí o seu nome: penny loafer.

Após um longo percurso, o modelo, ideal para os dias quentes, chega para enriquecer a coleção da marca Louie. “O couro é costurado à mão, na própria forma. A fabricação só termina quando a matéria-prima ganha o formato e os detalhes de um mocassim”, explica Adolfo Turrion, sócio-diretor da marca. Para aumentar o tempo de vida do sapato, Livia Ribeiro, também sócia, diz que aplicar hidratantes específicos ajuda a dar brilho e vida. “Hidratante corporal neutro também funciona”, diz.

O pai do preppy

Tommy Hilfiger é um gênio do marketing. Em 1986, um ano depois de criar sua marca, ele se comparou, em um enorme outdoor na Times Square, a Calvin Klein, Ralph Lauren e Perry Ellis, os grandes estilistas então da moda americana. Com eles, Tommy resgatou o estilo preppy, dos universitários americanos dos anos 70. Agora, esta autobiografia resgata histórias sobre seus desafios, conquistas, formação e infância.