[Ensaio VIP] Flavia Lucini, beleza cinematográfica

A modelo tem uma vida que renderia roteiro de filme: começo inusitado, decepção e um convite que parece de conto de fadas

 (Rob Northway/Revista VIP)

Leonardo Gomes era olheiro da Wired Models quando passava de ônibus pela pacata vila de Barra Grande, com cerca de 300 habitantes.

Era para ser apenas uma parada protocolar da linha, mas, pela janela do veículo, o olheiro viu — em cima de um trator — uma garota com cabelo chegando até a cintura e “roupa de menino”.

A beleza da criança de 13 anos saltou aos olhos de Leonardo. Ele acabara de encontrar uma futura estrela da Victoria’s Secret lá no interior do Paraná.

Essa não foi a única história que parece saída de roteiro de filme na vida de Flavia Lucini, até ela chegar à nata da moda mundial.

 (Rob Northway/Revista VIP)

Como uma boa história de Hollywood, o convite do olheiro fez brilhar os olhos da menina do campo, que no ano seguinte voou para Milão naquele esquema ou vai, ou racha: sem saber falar inglês, por conta própria, sem agente ou suporte. Rachou. Ficou só três meses na Itália.

Voltou para retomar os estudos e jurou seguir outra profissão.

Consegue imaginar a cena da menina desiludida? Mas, ainda como um filme, aquilo era só o começo — como se o primeiro arco da história tivesse sido concluído, mas o roteiro ainda está longe do fim.

 (Rob Northway/Revista VIP)

É então que entra em cena Giovanni Di Corinto, agente italiano da então menina, com uma frase que serve como plot twist do roteiro: “Você está convidada para desfilar com exclusividade para a grife Jil Sander”.

Pronto: o longa muda totalmente de tom e, como naquelas cenas de montagens rápidas, a vida de Flavia virou de ponta-cabeça — no melhor sentido da expressão.

Ela foi para a Itália, onde começou, digamos assim, a segunda parte da obra. Estabeleceu-se como uma das grandes modelos de haute couture (título normalmente exclusivo às mais consolidadas na profissão) e entrou de cabeça naqueles que se tornariam seus grandes hobbies: fotografia e arte.

 (Rob Northway/Revista VIP)

Foi graças a um amigo italiano, Federico, que Flavia começou a se aprofundar no assunto. “A família dele sempre colecionou arte e era amiga de grandes artistas, como Picasso.

E Federico me contava sempre histórias sobre eles. Eu já gostava das obras pelo que elas contavam por si só, mas, depois que ouvi as histórias, me interessei ainda mais.”

Começou pela arte renascentista, mas o dinâmico mundo da moda a fez moradora de Nova York, e lá o contato com a arte moderna foi inevitável. “Meus dois museus favoritos são de lá: o Whitney Museum, que tem uma coleção baseada principalmente em artistas americanos cujos trabalhos tinham sido desprezados pelos críticos e acadêmicos da época, e, claro, o MoMa, que conserva mais de 150 mil obras no acervo, além de uma livraria maravilhosa.”

 (Rob Northway/Revista VIP)

Sua imersão no mundo da arte teve uma forcinha de Carmen Einfinger, artista plástica britânica que morou anos no Brasil.

Todo esse background moldou o olhar de Flavia para a fotografia e fez com que a modelo abandonasse um pouco as passarelas. Começou a fotografar e protagonizou o clipe da música She Was Weird, do artista indie Pete Yorn – ela criou e dirigiu as cenas.

Nos últimos anos, no entanto, sua carreira deu uma nova guinada, e para um lado mais comercial.

Foi convidada para um novo clipe, dessa vez com Nego do Borel, e passou a integrar o casting da Victoria’s Secret em 2015, firmando-se no topo da moda mundial.

Por mais internacional que seja sua vida, Flavia, hoje com 28 anos, ainda mantém características dignas do Brasil, como o sincretismo que tanto marca nossa cultura.

 (Rob Northway/Revista VIP)

Em diversas entrevistas, já disse acreditar no Agartha, uma crença do budismo que defende a existência de um reino no centro da Terra onde somente almas elevadas chegam. “Adoro a filosofia budista, mas não sou praticante. Pratico meditação e sigo alguns ensinamentos nos quais creio. Acredito em Deus e na ideia de que a energia se transforma em matéria. E também na lei do retorno. Essa não falha!”


*Ensaio originalmente publicado na edição 395 da revistaVIP

Beleza: Claudio Belizario usa produtos L’Oréal Professionnel e Lancôme
Direção de arte: Claudio Belizario
Styling: Marika Vera

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!