[Ensaio VIP] Sabrina Sato, remexemos em nosso arquivo

Linda, sensual, divertida, engraçada, companheira, amiga dos amigos, talentosa... Quando quiser que pare, é só dizer, Sabrina!

 (J.R. Duran/Revista VIP)

Da menina dividida entre o curso de jornalismo e as coreografias da trupe do Faustão restam poucos vestígios na mulheraça eleita, em 2008, a segunda mais sexy do mundo, só atrás da unanimidade Bündchen. Hoje, ela é simplesmente um dos rostos mais conhecidos e amados da TV brasileira

Entre o almoço, a chegada da irmã e a partida para o feriado na casa dos pais, em Penápolis, no interior de São Paulo, Sabrina reservou duas horas para receber a VIP.

Na hora marcada, a porta do elegante loft no Pacaembu, em São Paulo, se abriu com um sorriso e um barrigão.

 (J.R. Duran/Revista VIP)

É Jô, a cozinheira, arrumadeira… faz tudo por aqui. E é ela que nos pede para entrar e esperar a dona da casa, que está no banho. Se for homem chamará Gustavo (o primeiro filho de Jô nasceu algumas semanas depois da entrevista e passa bem).

A espera não foi longa e foi suavizada pela simpática companhia do buldogue Zé Dunha e pelo ótimo smoth jazz (Bill Evans Trio recebe Stan Getz, se não me engano…) que rolava na tevezona da sala.

 (J.R. Duran/Revista VIP)

 

 (J.R. Duran/Revista VIP)

 

Você sempre curtiu fazer humor?

Humor é difícil. O difícil do humor é assim… não é igual música, que se você canta bem, o público é capaz de ouvir a música um verão inteiro, um ano inteiro. Piada, você conta uma vez e já era. Acabou. Piada é uma vez só. E eu nem sei contar piada, hein.

 (J.R. Duran/Revista VIP)

Você pensa em fazer outra coisa?

Eu quero fazer TV a vida inteira. Mas sei que tem que se renovar, se inventar, tem que mudar tudo sem perder a essência. Mas eu não consigo pensar no futuro. Não acredito em fazer projeto. Acredito em fazer bem no presente e colher no futuro.

E o BBB? Você assiste?

Não dá tempo, né? Mas eu gosto de ver quando dá…

 

 

 (J.R. Duran/Revista VIP)

 

Como você encara isso de ser um dos que se “deram bem”?

Esse papo de entre os 500 participantes três “darem certo” é relativo. Porque a gente está falando de quem trabalha na TV, mas não é todo mundo que quer isso.

 (J.R. Duran/Revista VIP)

Então o que é dar certo para uma ex-BBB? Por que o sucesso sorriu pra você ou pra Grazi?

A Grazi é de verdade, né? E é isso que as pessoas gostam. Ninguém gosta de gente fake, de gente ocupando, ou reivindicando o espaço de outra.

Acho que o sucesso vai sorrir pra gente que está fazendo diferente, fazendo algo original. Teve a época das personagens: Tiazinha, Feiticeira, a loira disso, a morena daquilo… mas elas não eram elas mesmas… e aí passou essa fase e hoje todo mundo quer saber das pessoas que são elas mesmas, pessoas de verdade.

As pessoas querem ver a Suzana Vieira chorando, sofrendo, querem se emocionar com o que é real.

 (J.R. Duran/Revista VIP)

E o preconceito?

Rola. E acho que é porque tem muita gente boa fora do ar. Mas o mundo é assim.

É cruel. Pra tudo. A oportunidade surge e é justo que as pessoas aproveitem, afinal, quem julga é o público. E o tempo é a melhor resposta.

 (J.R. Duran/Revista VIP)

Acredita em amor eterno?

Que pergunta. Olha, outro dia eu li um artigo de um psicólogo que falava disso. E que a questão para entender os relacionamentos hoje era somar informação e imediatismo.

Hoje, se não tá bom, você não consegue continuar. Você não consegue ter um problema e continuar mais um dia sem resolvê-lo.

 (J.R. Duran/Revista VIP)

E casamento?

Eu quero um casamento… eu sou muito romântica. Quero fazer coisas especiais por um homem, quero ser companheira. Mas quero um cúmplice para viajar, para ter do lado e… Quero que meu casamento dure. Por isso não tenho pressa pra casar.

E os namoros?

Eu gosto mais de namorar e tive poucos namorados. Mas gosto de liberdade de sair pra dançar com amigas, liberdade de não ter hora pra chegar… se não chega a hora, por exemplo, eu caso com você…

 (J.R. Duran/Revista VIP)

Aceito!

Haha… não, olha só… vai chegar o momento em que você quer ir com seus amigos para o Pantanal. E eu vou adorar que você vá. Porque, se não, vai chegar o dia e você vai cobrar isso de mim. E eu quero também ter o direito à privacidade de tomar chope com amigas, falar mal dos namorados, fazer compras.

E o ciúme?

Desde que a mulher paga as contas dela, ninguém mais segura. Isso acabou. Você tem que estar com alguém porque você ama, porque quer.

 (J.R. Duran/Revista VIP)

Você deve ser a celebridade mais desencanada com a fama que eu conheço. Não tem problemas com a imprensa no seu pé?

É que eu faço as coisas muito bem. Muito bem escondidas… haha, é brincadeira, hein!

É que eu não fui fabricada, não tenho empresária, não tenho ninguém para me dizer: “Olha, não fica até tarde na rua, não fotografa assim, assado”. Minha empresária é minha irmã.

E eu quero tomar meu chope no Genésio, no Filial…não quero ser famosa, mas eu adoro ser reconhecida. Eu trabalho em TV, mas tenho essa consciência que eu cago igual a todo mundo, não tem como tratar alguém mal: um tá varrendo o chão, outro escrevendo livro, outro tirando foto.

Se você trabalha na TV, tem que aguentar uma certa euforia à sua volta, um certo assédio. Se não aguenta, por que te metes? Certo, tem hora que você tá triste, tá nervoso… mas eu procuro não descontar em ninguém e nunca no fã, nunca.

 (J.R. Duran/Revista VIP)

Eu penso assim: eu admiro alguém, tipo, eu admiro a Maria Bethânia, daí eu encontro com ela e vou pedir pra ela autografar meu CD. Pra ela, eu posso ser mais um fã, só que pode ser a única vez que eu vou encontrar com ela na vida.

E eu penso nisso  quando alguém chega perto de mim. Pode ser alguém que sonha encontrar comigo e pode ser aquela a única chance de ela se encontrar comigo. Eu não vou negar nada, não vou ser uma escrota… ser brava, pentelha.

Acho que tem a ver com a minha cultura oriental, minha educação. Eu me sinto grata por isso. Por ter saído de um reality e trabalhar num programa de TV, onde quem manda é a audiência, sinto que tenho mais é que ser grata e não ficar com firula, com estrelismo.

 

 (J.R. Duran/Revista VIP)

 

Edição de moda: Jussara Romão
Produção executiva: Cuca Elias
Stylist: Miki Shimosakai (ABAMGT)
Beleza: Silvio Giorgio (Gloss)
Produção: Miwa Shimosakai

Esta matéria foi originalmente publicada na edição 288 da Revista VIP