[Ensaio VIP] Sthefany Brito, a irresistível

A carinha é de menina. A fala, de mulher. O corpo... ah, o corpo é de mulherão

 (Christian Gaul/Revista VIP)

Sthefany Brito voltou a fazer novela após um breve hiato em que muita coisa aconteceu.

Ela casou com o jogador de futebol Alexandre Pato, foi morar na Itália, separou, decidiu se afastar de tudo para recompor-se.

Agora, fazendo o que mais ama na vida – atuar -, a morena diz viver sua melhor fase. E quer provar que não tem nada a provar para ninguém.

 (Christian Gaul/Revista VIP)

Quando começa a falar, a voz suave e o jeitinho manso a fazem aparentar ainda menos que seus 24 anos.

Mas, conforme conta sobre suas experiências, Sthefany Brito vai se revelando uma mulher.

Doce, sim, mas com atitude. “Hoje, eu sinto que não tenho que provar mais nada”, diz.

 (Christian Gaul/Revista VIP)

“Todo mundo já viu que cresci, casei, me separei, não sou mais uma menininha. E não devo nada a ninguém.”

As frases parecem não combinar com a moça que está sentada à minha frente, cabelos presos num rabo-de-cavalo, regatinha, calça jeans e sapatilhas.

Mas ela continua: “Quando vou dar minha opinião, as pessoas se espantam: ‘Nossa, você se impõe, né?’ Eu sou doce, meiga, mas tenho personalidade e opinião. E luto, do meu jeito, pelas coisas que acredito. É assim que vou conquistando tudo.”

 (Christian Gaul/Revista VIP)

E quem é maluco de duvidar que ela não consegue conquistar absolutamente tudo o que quer?

 

Você está no ar em Vida da Gente. Como foi voltar para uma novela depois de quatro anos longe?

Está sendo uma delícia. Parece que eu nunca parei.

Que dormi ontem, acordei e estou fazendo a novela hoje. Me sinto em casa. Meu trabalho é minha vida, a coisa que mais amo fazer.

Estava sentindo falta de decorar texto, gravar, dessa loucura de não ter mais tempo… Minha vida sempre foi assim, desde meus 7 anos.

 (Christian Gaul/Revista VIP)

 

Pois é, você cresceu tendo o Brasil como plateia. O que isso trouxe de bom e de ruim?

Mais coisas boas do que ruins. O carinho das pessoas, por exemplo.

Aparecer na casa das pessoas todo dia cria uma intimidade, um laço, é engraçado isso.

De ruim é mais na vida particular. Acontece alguma coisa e logo vira notícia. E tudo vira muito maior do que realmente é.

 (Christian Gaul/Revista VIP)

 

Em 2006, você fez um ensaio para a VIP em que a mensagem era clara: eu era uma criança e agora cresci. Foi um divisor. E com este novo ensaio, o que você quis mostrar?

Aquele ensaio era na época da minha primeira novela com papel mais adulto, Páginas da Vida.

Fiquei loira, fazia cenas de calcinha e sutiã, com beijos… Tudo o que eu não podia fazer antes porque era menor eles compensaram nessa novela [risos].

Topei fazer a VIP por isso, era uma coisa: “Alô? Cresci!” E adorei. Já este ensaio de agora tem outra mensagem: “Não tenho que provar mais nada”.

Todo mundo já viu que eu cresci, casei, me separei, não sou mais uma menininha. E hoje não devo mais nada a ninguém.

Então fiz por mim, por estar me sentindo bem. Estou num momento muito legal da minha vida, tudo está dando certo.

No meu trabalho, na minha vida pessoal, com meu corpo, estou muito bem resolvida. Então a VIP é a cerejinha do bolo. Para fechar o ano com chave de ouro.

 (Christian Gaul/Revista VIP)

 

Qual a diferença da menina que fez o primeiro ensaio da VIP para você hoje?

Naquela época, eu ainda me importava muito com o que iam pensar e falar de mim.

Hoje, independentemente do que vão falar ou pensar, porque é óbvio que vão falar e pensar muita coisa, é uma decisão minha, pessoal.

Minha essência, personalidade, valores, caráter, isso não muda. Mas o que mudou foi o amadurecimento. A gente aprende com a vida, fica mais safa, sabe?

 (Christian Gaul/Revista VIP)

 

Você é meiga e doce como aparenta?

Todo mundo diz isso… E, quando vou dar minha opinião, as pessoas se espantam: “Nossa, você se impõe, né? Tem opinião”.

Eu sou doce, meiga, mas tenho personalidade e opinião, sim, e vou lutar, do meu jeito, pelo que acredito. É assim que vou conquistando tudo.

 (Christian Gaul/Revista VIP)

 

Você falou de estar mais madura. O casamento e a separação trouxeram isso?

Acho que tudo o que acontece na nossa vida, tanto as experiências positivas quanto as que podem ser chamadas de negativas, só acrescenta, soma, vem para a gente amadurecer.

Tudo o que acontece é para mostrar alguma coisa que você vai levar para o resto da vida, nem que seja um sentimento, um novo valor, é sempre uma descoberta.

Tento ficar sempre com uma experiência positiva.

 (Christian Gaul/Revista VIP)

 

Ficou magoada com o tratamento da imprensa na época, das fofocas todas, de gente especulando os motivos do Pato, como traição?

Uma vez me falaram que fiquei muito arredia, mas não fiquei. Eu só não tinha o que falar. Como vou dar uma entrevista quando não tinha novidade nenhuma para contar? Separou?

Separei, pronto. Era só isso. Não tinha conteúdo. E nunca foi meu foco principal falar sobre meu relacionamento, meu casamento.

Meu foco em entrevistas é o meu trabalho.

Naquela época, lia umas coisas e pensava: “Nossa, estão falando de mim?” Nem parecia que eu estava no meio daquela história toda.

Fizeram algo muito maior do que realmente foi para mim. Hoje eu tenho conteúdo para falar: da novela, do carinho das pessoas nas ruas, das fotos para a VIP.

E isso vira só mais um assunto dentro de tantos outros.

 (Christian Gaul/Revista VIP)

 

Você sempre foi superdiscreta. Trabalho e vida pessoal impecáveis, nada de escândalos, até esse episódio todo. Você é assim reservada mesmo? Não gosta de sair, ir para a balada?

Olha, eu sou geminiana, então tem os momentos em que morro de vontade de sair, outros em que estou com muita preguiça e quero ficar em casa.

Mas tenho uma turma grande de amigos, animaaaados [diz, cantando, e ri]… E gosto de sair para dançar com eles, mas também adoro ficar em casa vendo um filme, jogando baralho…

Diria que sou mais caseira que baladeira, mas também gosto de curtir.

 (Christian Gaul/Revista VIP)

 

Você abriu mão de seu trabalho por amor. É romântica? Faria de novo?

Eu acredito no amor. Claro que cada relacionamento é diferente.

Faria o que o relacionamento exigisse. É aquela coisa de saber ceder para poder estar em uma relação saudável.

Mas do trabalho não abro mais mão, nunca.

 (Christian Gaul/Revista VIP)

 

Você se decepcionou com o mundo do futebol?

Assim como o futebol, cada profissão tem uma coisa boa e uma coisa ruim.

Mas não conheço tão bem o futebol. Se você quiser que eu fale da profissão de ator, que conheço, eu falo.

Mas do futebol realmente vou ficar te devendo… [Risos.]

 

O que quer num homem?

Acima de qualquer coisa, de beleza, de senso de humor, o cara tem que ter caráter, ser ético.

E isso inclui sinceridade, lealdade.

 (Christian Gaul/Revista VIP)

 

Quando você quer bancar a sexy, faz o quê?

Poso para a VIP [risos].

 

Mas e na vida?

Tem noite que falo: “Hoje vou me arrumar, mas me arrumar de verdade!” Acho supersexy uma saia mais curta, um salto alto.

 (Christian Gaul/Revista VIP)

 

Você sabe ser sexy, então?

Ah, todo mundo sabe, né? Ou pelo menos deveria saber!

Com certeza sei. Acho que, mesmo quando estamos namorando ou casados, tem que ter a eterna conquista.

Quando olha para o espelho pensa o quê?

Quando eu era mais novinha, minhas amigas tinham todas peitos, bunda, e eu lá, magrinha. Então fiz um tratamento e engordei 5 quilos.

Mas engordei errado, fiquei meio com barriga, desajeitada. Aí comecei a malhar e as coisas foram indo para o lugar.

Mas eu nunca vou ter coxão, peitão, bundão. Então a gente tem que se aceitar como é. Eu amo meu corpo hoje. Tenho perna fina, braço fino, mas adoro.

Não queria outra perna. Ela está sempre direitinha, bonitinha.

 (Christian Gaul/Revista VIP)

 

Quando você fotografa, imagina que é outra pessoa?

O cenário das fotos traz essa coisa de interpretar.

Adoro isso de viver uma história que não é minha.

Uma foto é uma atuação também. Hoje estou de sapatilha, tão menininha, meiguinha. Amanhã, de saltão, posso virar um mulherão.

Adoro ser um monte de gente misturada numa pessoa só. Assim ninguém enjoa de mim. Nem eu.


*Ensaio originalmente publicado na edição 321 da revista VIP.

Realização: Andrea Bueno
Produção: Juliana Hirschmann
Stylist: Helena Luko
Produção de moda: André Namitala
Beleza: Edilson Ferreira
Assistende de fotos: Anderson Santos
Tratamento de imagem: Fujocka Photodesign

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!