“Parei de tentar me encaixar em um padrão”, diz Paolla Oliveira

A bicampeã da edição mais aguardada do ano foi convidada para ser editora contribuinte da revista. Atitude ela tem de sobra!

Paolla Oliveira

(Miro/VIP)

First things first. Para falar de Paolla precisamos voltar para a Penha, zona leste de São Paulo, onde Caroline Paola (assim, com um “L” só) Oliveira da Silva cresceu.

Passou pela tradicional Escola Wolf Maya e, antes de virar atriz, se formou em fisioterapia.

Mas esqueça o diploma. Importante mesmo foi seu papel em Belíssima, em 2005, que lhe rendeu projeção nacional.

Depois disso, sua carreira explodiu tão rapidamente quanto um chute de Jeiza, a policial de A Força do Querer: foram sete novelas, cinco séries e 15 longas-metragens.

O resultado de um ano incrível e de uma carreira irretocável foi o segundo título das 100+ (o primeiro aconteceu em 2013). Aos 35 anos, nossa bicampeã tem muito a comemorar – e nós também.

Paolla Oliveira

(Miro/VIP)

Em entrevista recente você comentou que agora está satisfeita com seu corpo. O que mudou, seu corpo ou sua mente?

A verdade é que parei de tentar me encaixar em um padrão que não é o meu. Tem pessoas que são morenas, outras que vão tentar ficar loiras como a Paolla e não vai ficar bom. É preciso encontrar o que fica melhor em você, e esse é um processo que inclui se gostar mais.

Qual é o seu guilty pleasure quando o assunto é comida?

Doces de crianças, Skittles, minhoquinha com açúcar, dente de vampiro. Tinha um negócio que eu comia na escola, que você colocava o pirulito em um saquinho… DipnLik! Eu adoro.

E quanto a séries e filmes?

É até esquisito: quando me falam que algo é ruim, aí, sim, eu fico muito a fim de ver. É muito mais fácil de você concordar com o colega do lado se alguma coisa é legal, bonita, bem dirigida.

Gosta de beber?

Adoro, principalmente uísque. Fui para a Escócia aprender mais sobre a bebida. Não sou chegada em drinques porque o que gosto – cerveja, uísque e vinho – não se mistura bem com nada. Ok, gosto também de uma cachacinha…

Paolla Oliveira

(Miro/VIP)

Você sente a diferença geracional no relacionamento? [Ela namora com o diretor Rogério Gomes, 56 anos]

Normalmente procuramos quem pensa e acredita em coisas parecidas, então a diferença de idade fica distante. Se o parceiro tem o mesmo ritmo que você, as mesmas vontades, é isso que vai definir se o relacionamento vai dar certo ou não.

Você tem mais de 8 milhões de seguidores no Instagram. A maneira como encara a internet mudou depois que virou meme em Felizes para Sempre? [A cena de nudez, de costas na sacada, causou alvoroço]

[risos] Não foi nesse momento, juro! Eu achava que as pessoas se expunham demais nas redes, não entendia, mas aos poucos fui me soltando. Depois da série, aliás, eu me escondi, não esperava aquela repercussão. Quando vi que a Danny Bond virou fantasia de Carnaval, fiquei assustada.


Leia a entrevista completa na edição de novembro da VIP, que chega às bancas na próxima sexta-feira (03).

Que também apresenta:

  • As 99 outras beldades que brilharam em 2017 e completam o ranking.
  • A história secreta da (quase) ida de Senna para a Indy.
  • Papo-reto com Felipe Massa: “A Fórmula 1 era muito chata no tempo do Ayrton”.
  • Cores, listras e estampas para os dias quentes, mas com estilo.

Fotos | Miro
Assistente de Fotografia | Gil Alves
Styling | Manoela Fiães
Beleza | Krisna Carvalho
Assistente de beleza | Lucas Luz
Agradecimento especial Hotel Santa Teresa Rio MGallery by Sofitel
Tratamento de imagens | Fujocka Creative Images

 

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. JOSÉ ALVES GUIMARÃES

    Mulherão xoxotuda, maravilhosa!

    Curtir