Um fim de semana para aprender ‘A Arte do Nu’, com Andrea Laz

Conhecida por seu trabalho com Suicide Girls, a fotógrafa, que mora na Alemanha, passou uns dias no Brasil e ministrou um workshop de fotografia para dez (sortudos) alunos

A poucos dias do início do carnaval, as ruas da zona oeste de São Paulo andavam movimentadas e barulhentas, tomadas por blocos de rua que se preparavam para começar as festividades do fim de semana seguinte. Dez pessoas, no entanto, decidiram trocar os desfiles por um workshop de dois dias de duração sobre fotografia.

“A Arte do Nu”, curso ministrado por Andrea Laz que o site da VIP acompanhou, envolveu nove horas de aprendizado, divididas entre aulas teóricas e práticas (sim, uma modelo deslumbrante, e nua, esteve no local para ensinar os alunos). Em sua primeira entrevista ao site da VIP, em dezembro de 2013, Andrea, que mora na Alemanha há oito anos, falou sobre o trabalho que faz no site Suicide Girls.

2 Andrea Laz mostra como se posicionar diante a modelo (Foto: Daphne Ruivo)

Andrea Laz mostra como se posicionar diante a modelo (Foto: Daphne Ruivo) (/)

Se você está por fora (e não deveria estar), o SGs é um portal que reúne ensaios de garotas bonitas e reais, muitas delas tatuadas, e que não são necessariamente modelos profissionais. “O objetivo lá é mostrar a ‘girl next door’ nua, aquela menina que você vê na rua, na balada, que tem seu próprio charme”, disse à fotografa na época. (a íntegra da entrevista você lê aqui)

Há dez anos no mercado de fotos sensuais, Andrea decidiu passar o conhecimento para frente antes de focar na sua real paixão: o fotojornalismo. “Antes de Facebook, Instagram ou MySpace, fazer fotografia de nu pra colocar na Internet era um negócio original. Sufoquei esse desejo de foto de rua por muito tempo porque precisava pagar as minhas contas. É muito bom me renovar depois de todo esses anos”, contou ao site da VIP.

ÀS AULAS

Depois de muita teoria, cada aluno teve a oportunidade de clicar a modelo Victoria Golfetti, de apenas 19 anos, por dez minutos. Com a ajuda do também fotógrafo de SGs Yogue Alencar, de 31 anos, Andrea conduziu e supervisionou cada movimento dos aprendizes. “Queremos que eles saiam fazendo algo legal, que aprendam”, explica.

Mesmo com pouca idade, Victoria está acostumada a posar para fotógrafos profissionais. As famosas “selfies” são seu ponto forte, e muitas são postadas no tumblr “Antes Éramos 2002” – um coletivo de meninas que curte tirar fotos sensuais. “Eu não sei muito o que esperar, não conheço as pessoas, mas estou tranquila”, disse ela no início do curso. O convite para participar veio de Yogue, e a modelo, apesar do receio, topou.

Nossa repórter aproveitou para fazer um making of do ensaio para você, leitor. Veja abaixo:

//player.vimeo.com/video/120323106

Helton Braz, soldado da aeronáutica de 22 anos, descobriu o workshop através do Facebook de uma Suicide Girl e, por sorteio, foi o primeiro a fotografar Victoria. Apreensivo, não conseguiu conduzir a modelo de primeira. “Minha dificuldade é na criatividade das poses, mas quando a Andrea me deu uns toques, fiquei mais tranquilo”, contou.

3 Helton Braz durante o curso (Foto: Daphne Ruivo)

Helton Braz durante o curso (Foto: Daphne Ruivo) (/)

Entre os dez alunos havia apenas uma mulher. Mariana Blessa, de 25 anos, conheceu Andrea por uma publicação no site da VIP e, quando soube do curso, não pensou duas vezes: “Quero mudar a visão que a mulher tem sobre ela mesma, e ajudá-la a se empoderar (com fotografias sensuais)”.

Para Victoria, a experiência foi satisfatória e rendeu algumas fotos para colocar em seu portfólio. “Ser dirigida por várias pessoas foi ótimo! E sobre as fotos da Mari…Bom, ela era a única menina do workshop! Para mim, o olhar de uma fotógrafa mulher é mais sutil e delicado. Gostei bastante”.

2 Mariana fez a foto acima durante o workshop com Andrea Laz (Imagem cedida à VIP)

Mariana fez a foto acima durante o workshop com Andrea Laz (Imagem cedida à VIP) (/)

Tipos de lentes, câmeras analógicas ou digitais ajudam o fotógrafo a fazer um bom trabalho, mas nada disso anula o fato de que você está lidando com um ser humano. E foi isso que os profissionais frisaram várias vezes durante o curso: “Não tem nada a ver com a câmera ou Photoshop, e sim com bom senso.”​

Andrea e Yogue nos passaram algumas dicas para quem deseja começar a tirar fotos que envolvam nu artístico. São elas:

1. O que a pessoa precisa ter para ser um fotografo de nu
Não importa o tipo da câmera, o principal é ter uma boa postura. Tomar cuidado com as palavras e com a linguagem corporal também são pontos importantes. Tenha consciência de que você está trabalhando, e não flertando.

2. Como pedir para a modelo fazer uma pose que deseja
Mostre como você pensa na pose. Deite no chão, se espalhe na cama e até coloque o dedo na boca. Coloque-se como um profissional e evite tocar na modelo. Se quer o cabelo dela para o lado, peça para ela movê-lo.

3. Cuidados para a foto não ficar forçada
Estude algumas opções de poses antes do dia do ensaio. Registre-as (na cabeça ou até no computador) e tenha sempre em mãos para te ajudar na hora de fazer as fotos.

4. Usar ou não usar tratamento de imagem
Andrea enfatiza: faça a foto e não a ideia da foto. Tente chegar o mais próximo do clique ideal. Vale mexer na luz, até porque as condições podem não colaborar no dia do ensaio. Para fotos sensuais, tente não usar equipamento de estúdio, ele pode cortar a tal da intimidade.

5. Dar espaço para a modelo no fim do ensaio
Deixe a pessoa colocar a roupa e até ficar sozinha no ambiente. Lembre-se de oferecer água para que ela fique mais confortável. Como o seu trabalho está feito, pergunte se tem algum lugar ou posição que ela queria ter feito e não fez.