Aprenda a ser homem com Indiana Jones

indiana jones
Ilustração – Alexandre Jubran

1 > MULHER: caiu na rede é peixe
Vamos começar pelo principal: elas. Sabe esse tipo de cara superseletivo que fala meu tipo são as loiras baixinhas entre 19 e 23 anos? É fresco. Aprenda com Indy: mulher é bom de qualquer jeito.

Indiana não perdoa nem franguinha. Pegou Marion Ravenwood menor de idade (filha do seu professor predileto, para piorar) e depois deu-lhe um belo pé na bunda. Atrás da Arca da Aliança, teve que ir ao Nepal pedir ajuda para a ex-namorada.

Engoliu um direto no queixo e a choradeira, eu era uma criança apaixonada, era errado e você sabia etc. Quem dorme com criança acorda molhado.

Indiana soube conquistar Willie Scott, a interesseira cantora com quem vive as aventuras de O Templo da Perdição. Willieé cantora de cabaré e liberada. Provoca Indy, dizendo que está indo para a cama usando suas jóias e nada mais (ele: Sou um cientista, nada me surpreende).

Desde o início a perua azucrina Indy, reclama, e deixa claro que seu negócio é grana. Mas Indiana sabe que o melhor caminho para a cama de uma mulher é o estômago.

Após a faminta Willie recusar aquele banquete com cérebro de macaco, Indy seduz a gata com uma maçã. Mas Willie não era nada perto da louraça nazista Elsa.

Aprenda com o herói: cuidado com mulheres rápidas. Assim que conheceu a loira, ele tomou tiro, quase foi incinerado e por pouco não morreu afogado. Claro que tudo era fingimento dela para conseguir chegar ao Santo Graal.

Cuidado: se ela está te levando para a cama rápido demais, quer alguma coisa de você ou pode ser uma espiã nazista.

Finalmente, Indy ensina você a fazer as pazes, independente do quanto você tenha pisado na bola: não tenha vergonha de pedir desculpas tantas vezes quanto necessário.

Dez anos depois de dispensar Marion, ele limpou a barra se humilhando: Marion, já pedi desculpas um monte de vezes. Marion: Pois peça de novo!. Indy: Desculpe.

2 > DEFINA o que você quer da vida
Fora as garotas, Indiana Jones confessa do que realmente está atrás em O Templo da Perdição: Fortuna e glória!. Para isso, ele é capaz de tudo: mentir, roubar, matar. Chega a trocar as valiosas cinzas de um imperador por um diamante.

Fortuna e glória é justamente o que a posse da pedra Sankara garante para quem a possuir. Indiana vai atrás dela com tudo. Mas a ganância tem um preço muito alto e nosso herói acaba abrindo mão da rocha para salvar um bando de criancinhas escravizadas.

A mocinha mesquinha cobra Indy. Diz que ele podia ter toda a fortuna e glória com que sonhava se tivesse mantido a rocha de Sankara. O herói se consola retrucando uma frase de efeito: Não, ia só ser outra pedra empoeirando num museu.

Mas está bem chateado. No ano seguinte (pela a ordem cronólogica das aventuras), Indiana de novo ia abrir mão de um tesouro: a Arca da Aliança. No final do filme, aponta uma bazuca para os nazistas que estão com a arca e Marion e diz: Só quero a mulher.

Macho de respeito é assim: sacrifica tudo por fortuna e glória menos fazer o bem e conquistar a garota.

3 > Seja feliz no TRABALHO
Para poder ser Indiana, nosso herói precisa ser também o Dr. Jones e manter um emprego. E todo emprego tem um lado mala.

No caso dele, gasta um tempão tentando convencer jovenzinhas a se interessar por arqueologia, precisa corrigir provas, fazer relatórios para o Barnett College etc. Aquela vidinha burocrática de professor.

O lado bom é que seu emprego permite que ele se aventure pelo mundo em busca de tesouros sobrenaturais, com direito a um belo bônus de vez em quando. Sim, Indiana não trabalha só por amor à ciência não.

Desde o início, é bem claro que, para cada artefato arqueológico recuperado, Indy leva uma grana. Fora que ele some meses a fio e não leva o bilhete azul.

O grande ensinamento de Indiana: escolha o chefe certo. Basicamente, um que perceba no que você é realmente bom e releve suas fraquezas.

Ele acertou na mosca indo trabalhar para Marcus Brody, apaixonado pelas mesmas coisas que Indy e velho amigo de seu pai.

Arrume um chefe que cubra suas escapadas e pague bônus gordos por performance, e nunca mais procure emprego.


4> APRENDA com quem entende

Indy tem 15 anos na abertura de A Última Cruzada. Perdeu a valiosa Cruz de Coronado para um bandidão, que ensina: “Você perdeu hoje, moleque. Mas isso não quer dizer que tem que engolir isso”. Indy aprende com todos, até com bandido. 

Foi na televisão que sua vida de garoto foi bem explorada. Se os filmes de cinema são a bíblia do homem, o novo testamento é a série O Jovem Indiana Jones. Nos 44 episódios, um Indiana entre 9 e 21 anos viaja pela Europa com o pai e luta na Primeira Guerra Mundial. A lição da infância e adolescência: aprenda com os melhores. 

Nas viagens aprendeu sobre coragem com Charles de Gaulle, a transar com Mata Hari, a pilotar enfrentando o Barão Vermelho e até caçou mafiosos junto com o intocável Elliot Ness.

5> ESQUEÇA a moda,defina seu estilo
Foi na adolescência que Indiana escolheu seu estilo, como qualquer homem normal – o resto são disfarces que a gente usa para engambelar o patrão, o mercado, a namorada. Assuma seu estilo e relaxe. 

Indiana usa o mesmo visual durante décadas. Isso é estilo. Moda é coisa de menina. Se não tem criatividade para moda (e que macho de verdade tem?), copie. Indy chupou seu visual de aventureiro do bandido que lhe passou a perna quando tinha 15 anos: roupas cáqui, jaqueta de aviador, chapéu de feltro. Mas usa acessórios muito seus. Por exemplo, um chicote de domador.

6> ENTENDA seu pai. E seu filho
Sim, trate criança como gente grande 90% do tempo. É assim que Indiana trata seu parceirinho em O Templo da Perdição, o garoto chinês Short Round. E funciona muito bem. Mas não exagere. Nos outros 10% do tempo, lembre que criança é criança e às vezes precisa de tratamento especial. 

O pai de Indiana, o Dr. Jones, nunca aprendeu essa parte final. Indy, órfão de mãe, teve uma juventude sensacional, mas faltou orientação. Em A Última Cruzada, pai e filho lavam roupa suja. O Dr. Jones diz: “Fui um pai maravilhoso, nunca te mandei limpar o prato, ir pra cama, lavar bem atrás das orelhas ou fazer a lição de casa. Respeitei a sua privacidade e te ensinei a se virar sozinho”. 

Indy: “Você me ensinou que pessoas mortas 500 anos atrás eram mais importantes para você do que eu… e por isso quase não nos falamos faz 20 anos”. Resumo: você pode ser o melhor amigo do seu filho, mas tem hora que precisa ser mais que isso. 

E a mesma regra serve para seu pai. Respeite, ele sabe mais que você. Mas não obedeça cegamente, ele não sabe tudo. Se teu pai faz piadinhas e te chama de “júnior”, dê um desconto. Trate 90%
como amigo e 10% como criança.

7> Certas coisas, HOMEM NÃO DISCUTE
Mulher, trabalho, dinheiro, família… mas no que Indiana Jones acredita de verdade? Essa é pergunta que macho não faz. Homem que é homem não se questiona, age. Indy é 100% ação e zero reflexão.
Passa o tempo atrás de tesouros místicos, mas não solta um piu sobre religião. 

Indiana, por exemplo, viu o poder da deusa hindu Kali em ação já em 1935, em O Templo da Perdição. Mesmo assim no ano seguinte garantia para o amigo e patrão Marcus Brody: “Eu não acredito em
magia, um monte de baboseira supersticiosa. Você sabe que cara cauteloso eu sou” (e enfiou o três-oitão na mala). 

Depois ainda viu a Arca da Aliança (um tesouro judeu) derretendo as forças do mal, e o Santo Graal (tesouro do cristianismo) ressuscitando seu pai. Mas Indy é antes de tudo um cientista e, portanto,
cético: “Arqueologia é a procura por fatos, não pela verdade. Se você está procurando a verdade, a aula de filosofia é no outro corredor”. E encerra o papo. 

Outro assunto a evitar é política. Indy sabe que não é bom confiar em governo algum, mas alguns são piores que os outros – como marajás necromantes, ditadores nazistas ou os burocratas stalinistas de
O Reino da Caveira de Cristal.

8> Idade não IMPORTA
Indiana Jones já estreou na tela como homem feito, e, se tem uma coisa que separa claramente os homens dos garotos, é uma idade acabando em “enta”. A data oficial de nascimento do personagem é 1º de julho de 1899, portanto ele tinha 37 anos em Caçadores da Arca Perdida

Harrison Ford tinha 39. É perto suficiente. E viu como Harrison Ford está aos 63 anos, em O Reino da Caveira de Cristal? Duvido que sua namorada expulsasse ele da cama. No diálogo clássico do primeiro
filme, Marion cobra: “Você não é o mesmo homem de dez anos atrás”. Indy explica: “Não é a idade, é a quilometragem”.

9> O SEGREDO de uma vida longa é…
Não fume. Indiana não fuma e sabemos que ele chegou aos 92 anos, pelo menos, a idade com que ele aparecia na abertura do seriado O Jovem Indiana Jones. Estava bem acabado, careca, com papada e tapaolho, mas falava coisa com coisa. 

Tirando o cigarro, mande brasa. Indy come de tudo (inclusive gororobas nojentas). Bebe bem, inclusive destilados. Dorme quando dá. Se arrisca de tudo que é jeito. Ele não vai na academia – tenha dó. 
Esporte radical de macho é brigar, correr, fugir de jacaré, se pendurar em cipó. 

Indy nunca teve barriga tanquinho, explodia tanque de guerra. Genética ajuda. Viu o pai de Indiana cheio de energia em A Última Cruzada? Se seu pai setentão transa com uma espiã, você tem futuro. 

Todo mundo morre um dia? Indiana Jones não se abala com isso: “Talvez, mas não hoje”.