E nasce um novo esporte

Criado pelos Gracie em 1993 para mostrar a superioridade do jiu-jítsu, o Ultimate Fighting Championship cresceu e fez surgir verdadeiros ciborgues – atletas de ponta, verdadeiros mestres em todas as lutas. Veja aqui como o UFC inventou o MMA

Década de 1980. Rorion Gracie, filho de Hélio, o criador do chamado Brazilian Jiu-Jítsu, morava nos Estados Unidos e ganhava a vida fazendo pontas em séries de televisão. Nos intervalos, convidava os atores e os amigos para o tatame que montara em sua garagem. “Queria divulgar o esporte que minha família tinha criado, que já era muito popular no Brasil”, diz Rorion. “Minha popularidade irritou professores de outras artes que vinham me desafiar, e eu lutava contra todo mundo. O cara era bom em caratê, boxe, kung fu? Com o jiu-jítsu eu ganhava de todos.” O negócio foi ficando cada vez mais popular. Tudo o que Rorion inventava dava certo: camisetas do Gracie Jiu-Jítsu, documentários das lutas de família. Ele chegou a dar 630 aulas por mês, com lista de espera de 85 alunos. Até que resolveu que ia aproveitar aquela demanda para criar um evento. “Coloquei anúncio na revista procurando os melhores lutadores de todas as modalidades. Queria que um estilo competisse com outro.” Chamou o (então seu aluno) diretor de Hollywood John Milius, um dos roteiristas de Apocalipse Now, para ser o diretor criativo do evento. Nascia assim, em 1993, o Ultimate Fighting Championship.

Vale tudo nada!
Veja algumas das infrações do UFC

  • Dar cabeçada, enfiar o dedo no olho, morder, beliscar, arranhar e puxar o cabelo
  • Atingir a garganta e as “partes baixas” do oponente
  • Enfiar o dedo em qualquer orifício, corte ou laceração do adversário
  • Quando o adversário está no chão, chutar ou dar uma joelhada na cabeça dele ou pisar no sujeito
  • Segurar nas grades do octógono
  • Atingir a coluna ou a parte de trás da cabeça
  • Acertar o adversário com a ponta do cotovelo num movimento em arco
  • Golpear o rim do adversário com o calcanhar
  • Arremessar o outro com a cabeça no chão
  • Atirar o adversário por cima do octógono
  • Cuspir no oponente

Diferenças entre árbitro e juízes de mesa

  • Árbitro central: não dá palpite na decisão dos jurados; tem outra visão da luta, só vê falhas e faltas; fica atento a possíveis cortes ou ferimentos; cuida dos atletas
  • Juiz de mesa: tem que escolher um ganhador; vê a luta de forma técnica e a precisão dos golpes; analisa quem foi o melhor no round

Como saber, basicamente, se um lutador está nocauteado ou finalizado

  • Pelo olho (quando ele está vidrado, por exemplo)
  • Tem os membros caídos, como braços e pernas moles
  • Se “apagar” ou dormir
  • Se quebrar algum osso
  • Se ele não está se defendendo inteligentemente

3 perguntas para a musa do MMA
Paula Sack é a única repórter brasileira exclusiva do site do UFC. E é de longe a gata que mais entende do esporte no país

Como começou sua relação com a luta?
Foi por causa da profissão mesmo. Durante seis anos fui apresentadora e repórter do Combate, canal pay-per-view especializado em lutas da Globosat. Mergulhei num mercado novo e segmentado, e falava para um público específico e exigente. Apenas entender o esporte não bastava. Eu precisava conhecer todos os detalhes. E na rotina de reportagens, eventos e viagens, acompanhando e vivendo o universo das lutas e, principalmente, do MMA, fui surpreendida ao descobrir o esporte mais incrível do mundo.

Ser uma mulher bonita no meio de tanto homem ajuda ou atrapalha?
A questão não é ser uma mulher bonita, mas ser mulher num ambiente predominantemente masculino. Acho que tudo se baseia na postura, na maneira de se colocar. O limite e o respeito sempre estiveram muito bem definidos. Nunca tive problemas com assédio, preconceito ou qualquer situação constrangedora. Se tenho uma vantagem em ser mulher, é poder ser mais ousada nas perguntas, nos questionamentos, poder mexer em polêmica de forma mais crua. Nunca recebi uma resposta atravessada.

Você vive propondo desafios para os lutadores nos programas, como fazê-los surfar ou escalar montanhas. E você os acompanha em todos. Qual desafio você não toparia?
Sabe que nunca pensei sobre isso? Quando comecei no mundo da luta, levei na bagagem minha paixão por esportes radicais. Nos desafios, os lutadores são testados nesses esportes radicais, e a primeira coisa que fica de lado é aquela imagem de destemido e inabalável. Um desafio que não dá para encarar sem preparação e treino adequado é o MMA. Sei bem o que acontece com os aventureiros que querem apenas “se testar”: entram na porrada.

——————–
O UFC Rio

O UFC Rio, que acontece em 27 de agosto na Arena HSBC, na Barra da Tijuca, já entrou para a história antes mesmo de ser realizado: foi a terceira venda mais rápida do evento. Em 74 minutos, 16 572 ingressos esgotaram-se. Antes disso, só o UFC 129, do Canadá, e o UFC 117, da Austrália, acabaram em menos tempo (45 mil e 18 mil ingressos, respectivamente, vendidos em meia hora). Tanto sucesso fez com que a Zuffa, dona da marca UFC, já pense em realizar duas novas edições no Brasil no ano que vem – em São Paulo e em Brasília. VIP apurou que Dana White, o todo-poderoso do evento, cogita fazer 12 edições menores no Brasil em 2012, os UFCs Fight Night. Dana não confirma nada. Mas promete: “Vocês verão um evento em breve em São Paulo, podem escrever”. Pela primeira vez, o UFC vai ser transmitido ao vivo em uma TV aberta. A RedeTV! mostra as lutas principais a partir das 22h, com comentários de Vitor Belfort, um dos ídolos do esporte. “Vai ser uma de nossas maiores audiências”, diz o superintendente de Jornalismo e Esportes Américo Martins. As lutas preliminares passam no pay-per-view Combate, da Globosat.

Lutas preliminares
Thiago Tavares (Brasil) x Spencer Fisher (EUA) – peso leve
Paulo Thiago (Brasil) x David Mitchell (EUA) – peso meio-médio
Erick Silva (Brasil) x Mike Swick (EUA) – peso meio-médio
Yuri Marajó Alcântara (Brasil) x Felipe Arantes (Brasil) – peso leve
Rousimar Toquinho (Brasil) x Dan Miller (EUA) – peso médio
Yves Jabouin (Canadá) x Ian Loveland (EUA) – peso-pena

Lutas principais
Anderson Silva (Brasil) x Yushin Okami (Japão) – disputa do cinturão do peso médio
Rodrigo Minotauro (Brasil) x Brendan Schaub (EUA) – peso pesado
Maurício Shogun (Brasil) x Forrest Griffin (EUA) – peso meio-pesado
Edson Barboza (Brasil) x Ross Pearson (EUA) – peso leve
Luiz Banha Cane (Brasil) x Stanislav Nedkov (Bulgária) – peso meio-pesado

ESPECIAL MMA

Lute em casa – Nossa lista de apetrechos para você treinar (ou apenas se divertir)
A evolução do MMA – Do vale-tudo às artes marciais mistas, os momentos mais marcantes
Um juiz brasileiro no octógono – Mario Yamasaki, que foi árbitro da luta de Anderson Silva contra Vitor Belfort, é um dos mais respeitados do planeta
O evento de milhões de dólares – Luta está movimentando uma baita grana no Brasil – até o cinema nacional entrou na onda
O templo da porrada – Alguns dos melhores lutadores do mundo, como Anderson Silva e Cigano, treinam no CT dos irmãos Nogueira – que é aberto ao público