Você realmente sabe o que fazer com os seios na hora do sexo?

"Que você ama, eu sei. Mas você realmente sabe o que fazer com eles na hora do sexo? Você já se perguntou isso?". Leia mais abaixo!

 (Pixabay/Reprodução)

No filme Um Lugar Chamado Notting Hill, a personagem de Julia Roberts fala algo que certamente toda mulher já se perguntou.

Na cama com Hugh Grant, na manhã depois de transarem, diz: “Qual é a dos homens com a nudez, hein? Especialmente em relação a seios. O que pode ser tão interessante sobre eles? Sério, são só peitos, todo mundo tem. Eles são estranhos, eles são para leite, sua mãe tem… O que tem de tão incrível?”.

Tenho certeza que você escreveria uma lista enorme cheia de justificativas para o amor masculino pelos peitos. Que você ama, eu sei. Mas você realmente sabe o que fazer com eles na hora do sexo? Você já se perguntou isso?

Antes de começar a escrever, falei com minhas amigas. A conclusão foi que nossos peitos, com frequência, são subestimados no sexo.

Isso se deve à dificuldade que a maioria dos homens tem em compreender que o corpo feminino é – ele todo – um órgão sexual. Somos naturalmente muito mais tântricas que vocês, meninos.

Não temos toda a energia concentrada só nos órgãos genitais. Os homens que compreendem e colocam em prática isso geralmente são os que são aplaudidos secretamente nos papos das amigas.

Porque mulher conta tudo uma pra outra, então sempre é bom arrasar – se aquela não for a mulher da sua vida, a amiga dela pode ser (e ela saberá tudo sobre você, believe me).

Voltemos aos peitos. O que fazer com eles? Eu gosto quando o cara já se mostra excitado com eles antes mesmo de tirar a roupa. Sou muito visual, por isso acho sexy ver a mão dele devagar entrando pelo meu decote ou levantando minha blusa até chegar no peito.

E então começar tocando com delicadeza e sensualidade, primeiro nas laterais (parte extremamente sensível), indo ao redor até chegar no mamilo.

Adoro quando ele começa beijando no pescoço, passando por aquela partezinha atrás do ouvido, e vai descendo devagar até chegar ali, lambendo devagar e depois ir intensificando tudo.

carol(Foto: Jorge Lepesteur)

Uma amiga fez uma observação interessante: o peito é como um clitóris – e deve ser encarado assim. Lamba-o do mesmo jeito: primeiro com mais leveza, depois com mais foco e ritmo.

Outra coisa muito excitante é o contato do nosso peito com o do homem durante o sexo. Pessoas (mal) educadas pelo pornô às vezes priorizam essas posições em que os corpos não se tocam por inteiro. Se você quer enlouquecê-la, enquanto lambe o peito, masturbe-a.

Existe uma ligação misteriosa do peito com a vagina – não sabemos explicar. Esse acúmulo de estímulos nos leva à loucura. (Tô me empolgando aqui só de imaginar.)

Também é importante saber a hora de ser menos delicado e pegar o peito com muito tesão: geralmente quando o sexo está mais selvagem ou na rapidinha. Mas não morda: a maioria das mulheres não curte.

Claro que tem quem gosta, mas daí tem que sentir o clima na hora. Se tiver dúvida, pergunte de forma sensual ou teste para ver se ela reage com gemido ou desaprovação.

Nunca subestime o valor do peito. Ele não é coadjuvante numa transa e passar por ele de forma mecânica e burocrática é a última coisa que você deve fazer com seu objeto de adoração.

Veja também