[Ideias VIP] A nova mulher empoderada precisa de um novo homem

Em épocas de empoderamento feminino, os homens precisam resgatar sua vulnerabilidade

 (Pinterest/Reprodução)

Sempre escrevi muito sobre empoderamento feminino, mas cada vez mais percebo que o fato de os homens não estarem se empoderando da mesma forma tem causado um desequilíbrio nas relações.

Quando falo de “poder masculino” não me refiro à visão do senso comum do macho alfa, forte & inabalável.

Falo do poder da coragem de se destacar das crenças do patriarcado que o levaram a nutrir valores machistas.

Estamos todos no mesmo barco, somos vítimas do mesmo sistema. Chegou o momento de o homem lutar contra isso também.

É essa a proposta que Fábio Manzoli (@famanzoli) tem trazido nos encontros de Sagrado Masculino.

Ele busca justamente resgatar a vulnerabilidade masculina que foi negada por tanto tempo.

Quero abrir aqui o papo que tive com ele. Acho esse assunto essencial: a nova mulher empoderada precisa de um novo homem.

 

O que é o sagrado masculino?

A proposta é a integração por parte — especialmente, mas não só — dos homens a seu lado feminino e suas vulnerabilidades.

Isso passa pela desconstrução das crenças que sustentam o patriarcado/machismo: homem que é homem não chora, não nega sexo, não brocha, não expressa sentimentos e não sente medo porque tudo isso é coisa de “mulherzinha” e dos gays.

E as mulheres são categorizadas entre putas e santas, aquelas para se divertir e aquelas para casar.

É uma visão objetificada. O homem, de forma inconsciente, renega seu lado feminino (sensibilidade, afeto, amor, intuição) porque acreditou que não é coisa de homem, e projeta isso no feminino manifestado fora dele, as mulheres e a mãe natureza.

Por isso tanta violência, estupro, assédio. Na tentativa de nos adequarmos a essas crenças, vivemos presos em máscaras.

Percebi que tinha raiva da mulher pelas minhas fantasias sexuais, e um dia caiu minha ficha que eu estava renegando o feminino dentro de mim, e renegando o feminino fora de mim.

E, por também renegar as vulnerabilidades, nós, homens, nos tornamos bombas-relógios prestes a explodir.

Enquanto não fizermos esse trabalho, a violência continua.

 

Como se empodera um homem?

Isso envolve nos empoderar do que somos: amor em essência. O resto é ego. Para nos empoderar de amor, temos que fazer o mesmo com nosso lado feminino.

Para isso, precisamos nos empoderar de nossas vulnerabilidades/obscuridades.

Enquanto renegarmos nossa sombra, ficamos à mercê dela.

Comecei a escrever meus textos falando dos meus muitos processos a resolver.

A nova era é colocarmos nosso masculino interno a serviço do feminino interno, para podermos realizar/manifestar com amor.

 

Como são os encontros?

Abordo tudo que mencionei e falo das minhas próprias questões, dores, sexualidade, distorções.

Eu entro e fico vulnerável. Depois rola uma magia, todo mundo vomita suas dores mais profundas.


Carol Teixeira é colunista da VIP, filósofa, escritora e autora do livro Bitch (editora Record).

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
E-mail inválido warning
doneCadastro realizado com sucesso!