De que forma a curvatura do pênis pode interferir na qualidade do sexo

Chamada de Doença de Peyronie, o problema prejudica o desempenho sexual. E, ao contrário do que muitos pensam, aquilo que nasce torto pode se endireitar

banana

 (Pixabay/Reprodução)

Você com certeza já olhou para seu camarada no andar de baixo e pensou “tem algo de errado aqui”.

Problemas de curvatura peniana, chamada de Curvatura Congênita ou a Doença de Peyronie, podem prejudicar o desempenho sexual do homem e, muitas vezes, causam desconforto na parceira.

Seja por um problema de ereção e/ou pela impossibilidade ou dificuldade na penetração, o pênis torto deve ser tratado para garantir uma vida sexual saudável.

E como, então, detectar esses impasses?

pepinos

 (Pixabay/Reprodução)

Se durante o sexo você sente dores, causa dores com quem transa e não consegue realizar uma penetração por muito tempo – ou até precisa se limitar a certas posições –, está na hora de ficar alerta:

Você pode ter um problema na tortuosidade peniana.

E, por conta disso, o acompanhamento de um especialista é imprescindível para a correção adequada.

Segundo o Dr. Paulo Egydio, especialista em Doença de Peyronie, esse problema pode estar diretamente ligada ao problema de disfunção erétil.

“Na maioria das vezes é a má qualidade da ereção que provoca a curvatura, já que um pênis não tão rígido, ao penetrar, está mais suscetível a passar por traumas que causam o aparecimento de fibroses”, conta.

De acordo com o médico, além de corrigir a tortuosidade do pênis, é de extrema importância se atentar, também, ao problema de ereção.

“O que causa muita resistência entre os homens é que, para isso, pode ser necessário realizar um procedimento cirúrgico, que incluirá a colocação da prótese e, a depender do caso, uma reconstrução do tamanho do pênis para assegurar a satisfação do paciente com o tratamento”, alerta.

Um erro comum quando falamos sobre a saúde sexual masculina é que os homens não têm o costume de buscar ajuda médica preventiva.

Muitos só vão a um urologista quando percebem algum problema que interfere na sua vida sexual, seja a disfunção erétil, curvatura peniana ou questões com a próstata.

Essa mentalidade de só apagar incêndios é nada preventiva e pode desencadear problemas mais sérios em um longo prazo.

pimentão

 (Pixabay/Reprodução)

É verdade que ainda existem muitos tabus com relação à saúde sexual do homem e, por isso, muitos impactos no dia a dia são velados em meio a essa falta de comunicação entre o homem e seu médico.

Manter uma vida sexual ativa e saudável pode melhorar a autoestima, a qualidade das noites de sono, estimula uma vida mais feliz e pode até previnir a mente contra depressão.

Estudos recentes da revista científica European Urology afirmam, ainda, que deixar tudo em dia reduz o risco do câncer de próstata.

“O hábito de visitar um urologista regularmente, a partir da puberdade, é de extrema importância para garantir uma vida sexual saudável e com qualidade”, finaliza. 

É sempre bom cuidar de quem é tão útil a você, não é mesmo?

Newsletter Conteúdo exclusivo para você
Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Robson Araujo

    Dicas muitos boas…rs

    Curtir