Saiba qual é a frequência sexual considerada satisfatória

Nossa colunista diz que padrões que consideramos ideais quase sempre vão além da realidade. Em muitos períodos da vida transamos menos e tudo bem.

 (Pixabay/Reprodução)

Você faz sexo a quantidade de vezes que gostaria? Muitos homens se queixam, pois desejam transar mais, ultrapassando a marca da média nacional de duas vezes por semana.

O fato é que os padrões que consideramos ideais quase sempre vão além do que a realidade permite. E uma frequência sexual satisfatória tem mais a ver com padrões individuais.

Acredite: em muitos períodos da vida transamos menos e tudo bem. Veja alguns casos:

Vocês se conheceram agora

Nunca se transa tanto. É a novidade, o desejo de descobrir e ser descoberto, de criar, de seduzir, tudo fica muito à flor da pele.

O rala-e-rola que antecede a transa tende a ser quente, prolongado. Se vocês têm vida sexual ativa e não estão transando quase sempre que se veem, é possível que a famosa “química” não seja tão boa. Avalie.

Vocês são namorados

Se não moram juntos, é possível que transem aos finais de semana quando encontram espaço nas agendas, driblando atividades como o encontro com os amigos, as festas, os casamentos, a família.

O que conta a seu favor é que a distância física durante a semana provoca uma certa “carência sexual”.

Vocês moram juntos

Se estão estreando a nova moradia, a tendência é sair fazendo sexo pelos cômodos da casa, várias vezes na semana, madrugada adentro.

Geralmente é nesse período que os jantarzinhos à luz de velas são mais frequentes, vizinhos e pudores totalmente esquecidos. Aproveite que não dura para sempre!

Vocês acabam de ter filhos

Acostume-se com a ideia de fazer sexo uma vez por mês ou a cada 45 dias. A libido feminina fica quase nula e o cansaço é inversamente proporcional.

Além disso, há muita expectativa com o recém-nascido, que demanda atenção, a quarentena obrigatória do pós-parto, os familiares, amigos e funcionários que passam a transitar pela casa, o receio de engravidar novamente… Calma que passa!

Vocês têm casa, empregada, filhos, cachorro…

É nesse momento que você pensa em frequentar um terapeuta sexual porque está transando bem pouco: uma vez a cada dois meses. Rotina e uma vida cheia de estresse são um convite à abstinência sexual.

Para não cair nessa, tente resgatar situações da época da estreia da casa nova, lembra? Mantenha preservados os momentos de intimidade, treine a calma, lute contra a ansiedade, cuide da saúde, priorize o prazer.

Ana Canosa é psicóloga clínica, terapeuta e educadora sexual e acredita que cada pessoa tem que encontrar uma frequência sexual que seja satisfatória para suas necessidades físicas e emocionais.