Sexo ajuda a impulsionar sua memória, aponta pesquisa

Cientistas australianos descobriram uma relação entre a vida sexual e uma cabeça mais ativa, no curto prazo

sexo sem compromisso

 (YouTube/Reprodução)

“Sexo é saúde”. Mais que um jargão conhecido e repetido em propagandas de ejaculação precoce, os benefícios de uma vida sexual ativa vão alem de melhorar a condição psicológica, cardíaca e física.

Ter tudo em dia entre lençóis também é ótimo para o cérebro.

Um dos fatores que comprovam essa teoria é o estudo divulgado pelo periódico Arquivos do Comportamento Sexual, que relacionou o sexo (beijo e toques íntimos) à um upgrade na nossa memória.

Pesquisadores da Universidade de Wollongong, na Austrália, constaram que, à medida que envelhecemos, a transa se torna um verdadeiro ingrediente para a cachola. 

Para isso, os estudiosos reuniram dados de mais de 6000 pessoas com mais de 50 anos — incluindo informações sobre dieta, saúde e poder aquisitivo.

Os participantes foram submetidos a um jogo da memória e a um questionário que identificava a frequência sexual de cada um.

Ao final do processo, a revelação: de fato existe uma correlação entre o rala-e-rola e o bom desempenho com a memória de curto prazo.

giphy

 (giphy/Reprodução)

Mas, cuidado como você irá aproveitar essa informação. Aumentar a rotina na cama não irá torná-lo um computador humano.

Além disso, a relação fala de uma melhora cerebral nas horas seguintes à transa (ou seja, nas 48h após o ato consumado).

No longo prazo, porém, não há indícios de que mais sexo impacte diretamente na memória.

Claro, os benefícios gerais à saúde continuam (e esperamos que você não esqueça…)

Newsletter Conteúdo exclusivo para você