O sonho do voo próprio com esses dois drones tripulados

Dois projetos semelhantes prometem realizar os desejos dos Ícaros do século 21 – Se um dia realmente ficarem prontos

Voar por conta própria é um sonho do homem desde a mitologia grega e a história de Ícaro e suas asas. Essa ambição aérea ganha contornos de alta tecnologia com dois projetos bem parecidos de “carros voadores” (ou mini-aviões). São máquinas para um ou dois passageiros para locomoção em áreas urbanas, sem depender de um helicóptero e de um piloto profissional. Pelo menos, a ideia é essa. Porque nem o alemão Lilium Jet nem o chinês Ehang 184 estão à venda. E há quem duvide de que um dia estarão.

O Lilium é, por enquanto, um projeto de quatro engenheiros de Munique. Eles receberam um investimento de 10 milhões de dólares do fundo internacional Atômico para fazer testes em 2017. É um avião elétrico de dois lugares, capaz de decolar e aterrissar verticalmente em áreas livres ou helipontos. A autonomia de voo seria de 300 quilômetros. Para poder pilotar, será necessário um curso de 20 horas.

Crédito: Divulgação Ehang 184 (Crédito: Divulgação)

Ehang 184 (Crédito: Divulgação) (/)

Já o Ehang 184, desenvolvido em Guangzhou, na China, não precisa de curso de pilotagem. É um grande drone elétrico com cockpit de um lugar. Tudo de que o passageiro precisa é indicar no aplicativo o endereço de destino e o 184 faz o resto sozinho. Mas os voos terão de ser curtos: a bateria tem autonomia de apenas 23 minutos. Um protótipo foi apresentado no salão CES de 2016, em Las Vegas. Só que não saiu do chão.