Aston Martin projeta condomínio residencial de luxo em Miami

A construção tem formato de vela está em um dos locais mais valorizados do mundo: às margens do Miami River

 (Aston Martin/Divulgação)

Esqueça os potentes V12, construção a mão impecável e aqueles carros que marcaram a carreira de James Bond.

A nova empreitada da Aston Martin tem mais a ver com a brisa do mar, piscina e áreas de lazer. A única semelhança entre o novo projeto e os clássicos carros é o luxo, característica da montadora

A marca anunciou sua entrada no mercado imobiliário com o Aston Martin Residences, prédio de 66 andares que está sendo construído na margem do Miami River, uma das regiões mais valorizadas do mundo.

 (Aston Martin/Divulgação)

O prédio iniciou a construção em outubro de 2017 e ficará pronto em 2021.

Nesse meio tempo, quem passar por Miami verá uma gigante vela sendo içada: o projeto do prédio feito pelos escritórios Revuelta Architecture e Bodas Miani Anger é no formato de uma gigante vela de aço e vidro, homenageando sua localização.

Ele terá no total 391 apartamento, uma sala de golfe virtual, diversas piscinas e duas salas de cinema.

A residências terão entre 65 metros quadrados e 1760 metros quadrados. Os preços variam de U$ 60 mil a U$ 50 milhões.

A Aston Martin trará seu toque especial nas áreas comuns, onde promete móveis feitos de fibra de carbono nas cores preto e cinza.

 (Aston Martin/Divulgação)

Entre os apartamentos disponíveis estão sete coberturas e uma cobertura duplex, todas com piscina particular.

Ele ainda inclui heliporto no topo, estações de carregamento para carros elétricos, piscina infinita, Fitness Spa e Fitness Center.

Há ainda sala de meditação e suítes de tratamento, galeria de arte e lobby art no 53º andar e salão de beleza.

Além de tudo isso, o prédio ainda é pet-friendly.

 (Aston Martin/Divulgação)

Expandindo as atuações

Nos últimos meses, a Aston vem anunciando uma série de parcerias que indicam uma expansão nas áreas de atuação da grife.

Antes restrita ao mercado de carros, a montadora anunciou na segunda metade de 2017 uma colaboração com a Triton Submarines para desenvolver um mini-submarino de luxo para fins comerciais com valor estipulado em U$4 milhões

 (Aston Martin/Divulgação)

Além disso, a marca já divulgou seu primeiro barco e vem trabalhando em uma linha de carrinhos de bebê.

A estratégia de expansão dos negócios pode ser explicada por dois fatores: com o futuro dos carros incerto, apostar em novos mercados significa não depender da tecnologia de explosão, que pode estar com seus dias contados.

Outro ponto é que a Aston é uma marca inglesa, e o brexit pode acabar com diversos incentivos da União Européia em relação ao mercado de automóveis, deixando seus carros (ainda) mais caros e com preços não competitivos.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você