Conheça Alter do Chão, o melhor destino para passar o Réveillon

Águas cristalinas em tons de azul e verde, areia branca e pôr do sol flamejante, é na margem direita do Rio Tapajós que acontece a virada mais hype do país

 (Divulgação/Revista VIP)

À esquerda, o Sol se despede lentamente em uma aquarela de variados tons de laranja e amarelo.

À direita, a Lua chega e cobre o horizonte de azul e rosa. É neste cenário de quase ficção de Alter do Chão, um distrito de Santarém, à margem direita do Rio Tapajós, que acontece a virada mais hype do país.

Para celebrar o Réveillon, há quatro anos os amigos Guilherme Giusti, Rodrigo Marcondes e Alexandre Pernet, do Soul Kitchen (uma incubadora de projetos culinários que roda o Brasil), apaixonados por Alter, criaram o Vai Tapajós, uma proposta para reunir amigos e festejar com comida, música e arte.

“O sorriso da galera daqui é algo que não há em outro lugar do mundo, as pessoas são coloridas. E o nosso projeto ajudou a qualificar o turismo na cidade”, diz Pernet.

Casa do Saulo

Casa do Saulo (Saulo Jennings/Revista VIP)

Com público em torno de 600 pessoas, a programação tem três dias de festa. No dia 27, numa praia às margens do Lago Verde no pôr do sol, DJs badalados iniciam os trabalhos.

No barco com cozinha aberta, o chef Saulo Jennings prepara delícias como a paella tapajônica e é dada a largada no bar com gim-tônica, vodca, cerveja e cachaça de jambu.

No dia 29, prepare-se para mais 12 horas de festa, com passeio de barco e show de carimbó de Chico Malta.

Para assistir à chegada de 2018, o cenário é uma praia paradisíaca secreta às margens do Tapajós. O ingresso para as três festas sai, por pessoa, R$ 1 800. Mas viver Alter do Chão não tem preço.

Experiência Amazônica

Conhecer a mais bela praia de água doce do mundo, segundo o jornal britânico The Guardian, demanda empenho e planejamento.

As longas horas de voo e o percurso de Santarém a Alter são esquecidos ao chegar ao “Caribe brasileiro”.

A mística da cidade já se dá em seu cartão-postal, a Ilha do Amor, um longo banco de areia com alguns quiosques. Na Amazônia, o rio é um mar que dança no ritmo das chuvas.

De janeiro a julho, o nível do Tapajós sobe até 8 metros. Nessa época há passeios como o da Floresta Encantada, onde se pode navegar pelas copas das árvores da floresta submersa.

Para quem não dispensa praia, o momento é de agosto a dezembro. Com o balé das águas, surgem 100 quilômetros de faixas de areia.

Espaço Gastronômico Alter do Chão

Espaço Gastronômico Alter do Chão (Palestina Israel/Revista VIP)

Para começar bem, tome o café da manhã num pátio cheio de árvores, como o da Vila de Alter Pousada Boutique Amazônia, que tem capacidade para 16 hóspedes, em seis bangalôs — o melhor jeito de vivenciar a Amazônia sem abrir mão do conforto (diárias a partir de R$ 500).

Alimentado, parta rumo ao Rio Arapiuns, afluente do Tapajós repleto de praias desertas. Durante o percurso de mais de duas horas, não se vê margem.

Desembarque na Ponta do Toronó, onde a equipe do barco de três andares prepara a piracaia, churrasco de peixe que é um ritual na região (a partir de R$ 400, que inclui viagem, alimentação e open bar).

Ao fim do dia, o Arapiuns brinda com o pôr do sol. De volta a Alter, a música vai levá-lo ao Bar da Dona Glória, que tem cerveja gelada, bolinho de piracuí (R$ 12) e a big band de chorinho Amigos do Zé, que toca até… Raul.

O próximo destino é o balneário e restaurante Casa do Saulo, na Praia de Carapanari.

Além de coordenar projetos sociais gastronômicos, Saulo Jennings é produtor e chef do Réveillon Vai Tapajós. E crava: “A Amazônia vai conquistar o mundo pela boca”.

Ali, prove o pirarucu no creme de castanha-do-pará com camarão grelhado e banana-da-terra (R$ 96, para duas pessoas).

Depois do banquete, cochilo nos lounges. Para os animados, kite e windsurfe (R$ 150 a hora do aluguel dos equipamentos).

 (Regina Santos/Revista VIP)

A noite é no Espaço Gastrônomico Alter do Chão, restaurante e casa de shows de carimbó com decoração ecológica, luz de velas, tecidos fluidos e vista para a orla .

Para aquecer, jambu santo, drinque com cachaça de jambu, tangerina e capim-santo (R$ 18).

Para comer, ceviche tropical (R$ 23) e pirarucu “caboco” (R$ 55), peixe com molho de macaxeira e tucupi preto, vinagrete de feijão manteiguinha e camarões flambados.

Finalize com pudim de cumaru com nougatine de castanha-do-pará (R$ 12).

Ao som de percussão poderosa e músicos incansáveis, enormes saias de chita rodopiam.

Depois dos excessos

No dia seguinte, faça a trilha na Floresta Nacional do Tapajós (Flona). O trajeto de 2h30 é em uma confortável embarcação com serviço de bordo (R$ 300).

Ao chegar à Comunidade do Jamaraquá, você terá a sorte de ser recebido por seu Bata e dona Socorro.

Na trilha com 9 quilômetros e duração de quatro horas, ouça o som do silêncio da floresta, uma respiração leve e pausada conforme a mata fica mais fechada e abafada.

A sensação é de estufa perfumada. Como um farmacólogo, o guia aponta plantas, retira lascas, ensina remédios para males diversos.

Comunidade do Jamaraquá

Comunidade do Jamaraquá (Pedro Mascaro/Revista VIP)

O destino é a imponente sumaúma, centenária árvore que pode atingir 90 metros de altura e 3 de diâmetro.

Na volta, dona Socorro espera com peixe assado e suco cremoso de goiaba.

Termine com um banho no igarapé de água transparente, vitórias-régias e pôr do sol místico.

Difícil acreditar que não está em um quadro de Monet.

Na volta para Alter, deitado no solário, o céu da Amazônia vai ensiná-lo que há mais estrelas do que você supunha. “Sempre soube que eu não conseguiria mais viver longe do rio”, dizem os moradores. Você entenderá.

A trilha sonora

O DJ ZeK Picoteiro, uma referência na mixagem de músicas regionais, criou uma setlist de réveillon para à VIP.

Incluindo experimentações de carimbó, cúmbia, tecnobrega e os diversos gêneros paraenses feito por produtores e artistas paraenses e brasileiros como Waldo Squash, Will Love, Lucas Estrela, Tide, Furmiga Dub e outros. 


O Réveillon em outros pontos

Quatro festas no Nordeste que prometem incendiar a recepção de 2018

Réveillon Carneiros (PE)

 (Divulgação/Revista VIP)

Primeira edição da festa em uma das praias mais belas do mundo, com estrutura de beach clubs de Ibiza.

Piawaii (Pi)

 (Divulgação/Revista VIP)

A primeira das cinco festas em Barra Grande começa dia 27, com open bar e atrações internacionais.

Réveillon Mareh (BA)

 (Divulgação/Revista VIP)

Uma semana de celebrações na vila de Cumuruxatiba, sul da Bahia, com 30 atrações, no barco e em terra firme.

Réveillon do Gostoso (RN)

 (Divulgação/Revista VIP)

Cinco dias com tardes pé na areia, noites em labels do eixo Rio-São Paulo e show gringo.

Newsletter Conteúdo exclusivo para você