Trancoso, na Bahia, é o destino mágico deste verão

Um exclusivo clube de golfe, as mais badaladas sunset parties e a natureza local exuberante mantêm Trancoso como a praia mais hype do Brasil

Igreja Trancoso Aérea

 (Reprodução/Divulgação)

Durante o alto verão, entre os meses de dezembro e fevereiro, o Aeroporto Terravista faz cerca de 60 operações por dia, entre pousos e decolagens.

Ali, é considerável o movimento de jatos executivos, particulares ou fretados, taxiando na pista que faz parte do complexo de mesmo nome do aeródromo, que ainda inclui um condomínio de casas de alto padrão e uma vila de hospedagem.

Em terra firme, no alto de uma falésia entre as praias do Rio da Barra e do Taípe, o condomínio está instalado em uma área de mais de 500 hectares de Mata Atlântica preservada e, serpenteando as casas, há um campo de golfe de 18 buracos – considerado o melhor da América Latina.

Terravista Golf Course 3

 (Reprodução/Divulgação)

O de número 14 é o cartão-postal: a tacada de lá atravessa de uma falésia a outra, com uma vista incrível do mar. Ali, você percebe o que Trancoso e toda a região sul da Bahia podem oferecer de exclusividade.


Central histórica

A apenas dez minutos do Terravista está localizado o Quadrado de Trancoso, centro do povoado mais famoso da região.

O lugar era desconhecido nacionalmente até o fim dos anos 70, quando hippies descobriram esse enorme gramado com casas dispostas ao redor e uma igreja ao fundo.

Hoje, os casebres coloridos e tombados como patrimônio histórico pela Unesco abrigam lojas, cafés, restaurantes e elegantes pousadas.

Quadrado Trancoso

 (Reprodução/Divulgação)

À primeira vista, é tudo muito rústico. Mas é este mesmo cenário que dá uma atmosfera elegante ao vilarejo.

Ali, fique hospedado no Uxua Casa Hotel (uxua.com; diárias a partir de R$ 3 800), uma vila de casas com serviços de concierge, restauradas com materiais recuperados pelo designer holandês Wilbert Das. Tudo inspirado em hospedarias da Indonésia.

Uma caminhada de oito minutos a partir do hotel leva você até a Praia do Rio da Barra, a mais central e, ao mesmo tempo, a que parece mais remota da região.

Ela está logo atrás da “Igrejinha” (como é carinhosamente chamada) de São João Batista e se estende por 500 metros de areia branca e manguezais. E mais: dali se tem a visão do encontro do oceano com o rio.

Apesar das águas calmas, o vento sopra forte. Por isso, a praia é ideal para a prática de kitesurfe: é comum ver por ali surfistas fazendo manobras em suas pranchas com coloridas pipas.

Para os menos radicais, o local é também propício para o stand up paddle (os equipamentos e as aulas podem ser contratados na recepção do hotel).

De remo ou com uma pipa de tração, ainda dá para passear até as praias vizinhas, como a dos Nativos e a dos Coqueiros.


Beach Clubs como os de Ibiza

Para quem quer agito, na Praia Rio Verde está o Casa Club Trancoso. No segundo verão em funcionamento, o espaço acomoda 180 pessoas e abre todo dia a partir das 10h da manhã.

Com sunset parties diárias, o som predominante é música eletrônica e house. Comandado por quatro sócios paulistas, o club se tornou, neste ano, a embaixada da vodca francesa Grey Goose.

Peça o drinque da temporada: le grand fiz, com vodca, licor Saint Germain, água tônica e gomos de limão. Da cozinha, o ceviche de peixe reabastece a energia sem pesar.

Depois do pôr do sol, o jantar pode ser na pousada El Gordo. Na ponta do Quadrado, o estabelecimento tem mesas em volta da piscina com a vista do alto da praia.

Quem pilota as panelas é o chef Wladimir Umezu, que tem influências asiáticas graças aos dez anos que viveu no Japão.

Prove o bacalhau ao forno, acompanhado de batatas ao murro, cebola confitada e azeitonas (R$ 119). A cerveja é gelada no ponto.

Se ainda tiver pique, a programação de festas do Café de La Musique, na Praia dos Coqueiros, inclui festas de labels do eixo Rio-São Paulo e DJs como Alok e Vintage Culture.

Café de La Musique Trancoso

 (Reprodução/Divulgação)


Nos arredores

Logo ao raiar do sol, parta rumo à exótica Praia do Espelho, considerada uma das mais belas do país.

Com mar em diversos tons de azul, ela pode ser acessada de duas formas: pelo mar, alugando uma lancha a partir do centro histórico; ou por terra, enfrentando 24 quilômetros de esburacada estrada (a viagem leva 50 minutos).

O esforço é recompensador: o reflexo da água na maré baixa faz jus ao nome da enseada.

Praia do Espelho 2

 (Reprodução/Divulgação)

Cercada por falésias brancas, ela faz divisa com a deserta Praia dos Amores, que só pode ser acessada a pé pela orla – quando a maré sobe, não tem como voltar.

A pedida do almoço acontece na pousada Enseada do Espelho (enseadadoespelho.com.br), que tem como carro-chefe o camarão VG empanado no coco (R$ 199 para duas pessoas), acompanhado de arroz negro com tomates e abobrinha refogada.

Você pode alugar um carro em Trancoso e, em duas horas, chegar a Caraíva, a charmosa vila de pescadores.

Caraíva

 (Reprodução/Divulgação)

Coma um pastel de arraia no Boteco do Pará (R$ 9) e vá até a Praia da Barra assistir ao espetáculo do sol se pondo atrás da colina.

À meia-noite de sábado, há show ao vivo de forró no Pelé. Se você não é bom na dança, peça uma dose de Netuno (R$ 6), bebida regional à base de gengibre, e abra a roda para os casais rodopiarem.


Pedida de domingo

De volta a Trancoso, reserve o almoço de domingo para provar a feijoada da Casa da Glória.

Ao lado do casebre amarelo, no número 335, uma pequena porta desemboca em um longo corredor branco.

Hoje é dia de feijoada na casa da Glória 🍜🍻🍴🌻🌴🌞

A post shared by Casa Da Glória (@casadagloriatrancoso) on

No fim dele, um jardim amplo e arborizado dá as boas-vindas, junto com uma caipirinha de frutas colhidas no jardim, como cacau, tangerina e limão-cravo (a partir de R$ 15).

Cozida a fogo lento, a refeição é vendida em porções individuais (R$ 35 por pessoa) e acompanha arroz, couve refogada, torresmo e farofa de banana crocante.

Hoje é dia de feijoada na casa da gloria🍴🍺🍲

A post shared by Casa Da Glória (@casadagloriatrancoso) on

Depois do almoço, enquanto se espreguiça, você certamente vai perceber como seria feliz se pudesse viver naquele lugar.

E, se for sortudo como eu, ainda vai cruzar com Roger Waters, um dos fundadores da banda Pink Floyd, logo na saída do Quadrado.

 

* A jornalista viajou a convite da Secretaria de Cultura e Turismo de Porto Seguro (BA)  e Azul Linhas Aéreas.